Clique aqui para ir para a página inicial
 

Pular Links de Navegação
»
Home
Contato
Calculadoras
Consultoria
Conteúdo
Cotações
Perfil/Testes
Serviços
Parceiros
Mapa site
[HyperLink1]
Cadastrar
 
    
Você está em:   IGF Modelos de documentos Petição Penal Defesa preliminar de atipicidade e ausência de materialidade

Petição - Penal - Defesa preliminar de atipicidade e ausência de materialidade


 Total de: 15.244 modelos.

 

DEFESA PRELIMINAR - LEI Nº 10409-02 - ATIPICIDADE E AUSÊNCIA DE MATERIALIDADE

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA ________ VARA CRIMINAL DA COMARCA DE _________________(___).

processo-crime n.º _________________

objeto: defesa preliminar à luz da Lei n.º 10.409/02.

______________________, brasileira, viúva, católica, dona de casa, residente e domiciliado na Rua _________ n.º ___, Bairro __________, nesta cidade, atualmente, constrita junto a _______________, pelo Defensor Público subfirmado, vem, com todo acatamento e respeito a presença de Vossa Excelência, oferecer, as presente defesa preliminar, na esteira do artigo 38, § 1º da Lei n.º 10.409 de 11 de janeiro de 2.002, aduzindo o quanto segue:

INÉPCIA DA DENÚNCIA: ATIPICIDADE E FALTA DE JUSTA CAUSA À PERSECUÇÃO CRIMINAL.

Segundo reluz do elementos granjeados durante o fabrico da inquérito policial, salta aos olhos que a ré não pode ser qualificada de traficante, pela elementar e singular circunstância de jamais ter vendido substâncias psicotóxicas. Tal dado vem corroborado e ratificado ante a peculiaridade de não ter sido aprendida qualquer espécie de droga, com esta, por ocasião do ‘flagrante’, efetuado pela ciosa policia militar.

Aliás, tal aspecto foi registrado pelo condutor, _____________, à folha ___, quando afirma:

"Ao identificar o casal, nada foi encontrado em poder dos mesmos, porém, próximo a eles, num canteiro da via pública, estava a droga ora apreendia e apresentada..."

Ora, se nada foi arrestado em poder da ré, assoma arbitrário e despótico qualificá-la como traficante, visto que tal presunção não se sustenta pela via lógica e racional, sendo fruto de ilações e conjecturas, advindas do surrealismo e da imaginação fértil do polícia judiciária.

De resto, temos que a ré é merecedora de um voto de crédito em suas assertivas, visto que é primária na etimologia do termo, desconhecendo por completo o orbe delinquencial. Nesse sentido, convém observar-se a certidão de antecedentes de folhas ___.

Donde, a prova hospedada ao feito, não justifica e ou autoriza o brutal enquadramento operado pela denúncia, falecendo, pois, a ação de justa causa para sua agnição, cognosibilidade e procedimentalidade.

Assim, assoma impossível receber-se a denúncia, na forma em que vazada, haja vista, que a mesma encontra-se alicerçada em premissas dúbias e ambíguas, logo, em descompasso profundo com os elementos de prova coligidos na fase inquisitorial, ao imputar fato atípico a ré, com o que deverá ser repelida em sua natividade, consoante recomenda e preconiza a nova lei regente da matéria.

II.- AUSÊNCIA DA MATERIALIDADE

Em realizando uma incursão na peça ovo, observa-se que a mesma sedimenta a materialidade da infração, na apreensão de 68 trouxinhas de crack, o que corresponde a 15,9 gramas.

Entrementes, pelo laudo n.º ________, acostado à folha _____, temos que a substância apurada pelo Instituto Geral de Perícias, é diversa da constante da denúncia, ou seja, o exame realizado no material submetido a verificação, foi positivo para cocaína.

Em virtude do que, a materialidade não resultou positivada, ante a divergência figadal entre o material apreendido ‘crack’ e o apurado pela via científica, ‘cocaína’, impedindo, assim o recebimento da própria denúncia, considerado, sempre, que o laudo definitivo, constitui-se em peça vital, para atestar o poder vulnerante da droga, o que inocorreu no caso submetido a desate.

A tudo agrega-se, no intuito de lançar-se ao descrédito a peça inaugural, a divergência existente entre a quantidade de droga aludida pela denúncia igual a 15,9 gramas, com a aferida pelo laudo pericial de folha ___, o qual aponta a quantidade de 0,841 (oitocentos e quarenta e um miligramas), de material arrestado e submetido a perícia.

Por conseguinte, a ausência da materialidade - o material submetido a perícia é de natureza diversa do apreendido - impede o recebimento da denúncia, sob pena de restar patenteado e configurado o constrangimento ilegal.

POSTO ISTO, REQUER:

I.- Seja rejeitada a denúncia, uma vez que imputa a ré fato atípico, qual seja, a mercancia de substância entorpecente - tendo sempre em linha de conta que inexistindo tipicidade não pode haver persecução criminal, por ausência de justa causa - o que se vindica tendo por suporte as razões expendidas linhas volvidas.

II.- Na remota hipótese de o nobre Julgador suplantar a tese supra, seja de igual modo, rejeitada a denúncia, uma vez que inexiste a materialidade da infração atribuída a ré, de sorte que o material analisado pelo laudo definitivo, é de natureza diversa do aprendido, com o que não resultou positivada sua idoneidade tóxica, destacando-se, ainda, a divergência abissal entre a quantidade de substância tóxica consignada na peça inaugural (= 15,9g) e a verificada (= 0,841g) pelo laudo definitivo n.º ___________, à folha _____.

III.- Na remota, longínqua e improvável hipótese de ser recebida a denúncia, protesta pelo depósito do rol de testemunhas, tão logo o mesmo seja fornecido pela ré.

Nesses Termos

Pede Deferimento.

_________________, em ____ de __________ de 2.0__.

______________________________
DEFENSOR PÚBLICO TITULAR

OAB/UF ____________


Veja mais modelos de documentos de: Petição - Penal
Ação rescisória penal
Recurso especial contra decisão que concedeu sursis a condenado por crime de tráfico de entorpece
Pedido de abertura de inquérito policial (01)
Alegações finais pugnando-se pela absolvição do réu ante a falta de provas em instrução ccriminal
Contra-razões de apelação, nas quais os réus pugnam pela manutenção da sentença que entendeu pela
Pedido de relaxamento de prisão em flagrante ou arbitramento de fiança
Pedido de revogação de prisão preventiva por crime de atentado violento ao pudor
Alegações finais de estelionato de cheque emprestado
Recurso e razões de roubos qualificados por dois réus
Suspensão do curso do processo criminal
Carta testemunhável de razões do recurso
Recurso ordinário em sede de habeas corpus, para requerer alvará de soltura ante prisão ilegal