Clique aqui para ir para a página inicial
 

Pular Links de Navegação
»
Home
Contato
Calculadoras
Consultoria
Conteúdo
Cotações
Perfil/Testes
Serviços
Parceiros
Mapa site
[HyperLink1]
Cadastrar
 
    
Você está em:   IGF Modelos de documentos Petição Tributário Ré procurou refutar as alegações do Autor dizendo que as mesmas seriam fruto de interpretação equivocada a respeito da legislação

Petição - Tributário - Ré procurou refutar as alegações do Autor dizendo que as mesmas seriam fruto de interpretação equivocada a respeito da legislação


 Total de: 15.244 modelos.

 
Ré procurou refutar as alegações do Autor dizendo que as mesmas seriam fruto de interpretação equivocada a respeito da legislação que regula a imposição de penalidades pela entrega em atraso de declaração de imposto de renda de pessoas físicas.

 

EXCELENTÍSSIMA SENHORA DOUTORA JUÍZA FEDERAL DA ___ª VARA FEDERAL DA CIRCUNSCRIÇÃO DE ____________ - ___
Processo nº
____________, já qualificado nos autos do processo em epígrafe, por seu procurador signatário, vem respeitosamente à presença de V. Exª, MANIFESTAR-SE acerca da contestação apresentada pela União Federal, pelos termos que seguem:

I - DO NOME:
1. Alheio ao objeto da lide e apenas para fins de esclarecimento informa o Autor que, atualmente, a grafia correta do seu nome é ____________, como consta na inicial, sem a letra "A" antecedendo o prenome, pois o mesmo foi retificado judicialmente no final de 20__ (processo nº ____________, Comarca de ___________), embora nem todos os documentos e registros tenham sido alterados até a presente data.

II - DA CONTESTAÇÃO:

2. Em sua contestação, a Ré procurou refutar as alegações do Autor dizendo que as mesmas seriam fruto de interpretação equivocada a respeito da legislação que regula a imposição de penalidades pela entrega em atraso de declaração de imposto de renda de pessoas físicas.
3. Além disso, argumenta por não haver nenhuma ilegalidade em se aplicar a multa pelo atraso na entrega de declaração de forma progressiva e com base no valor do imposto devido na mesma, e encerra pedindo pela improcedência da ação.
4. Equivocada a Ré, no entanto.
5. Primeiramente, a interpretação do Autor com relação a aplicação da multa pelo atraso na entrega da declaração de imposto de renda de pessoas físicas (DIRPF) é exatamente a mesma da Secretaria da Receita Federal, como bem prova o documento de fls.___ dos autos.
6. Além disso, o Autor deixa bem claro em sua petição inicial que concorda com a aplicação da multa pelo atraso na entrega da DIRPF, inclusive com a diferença no tratamento entre aqueles contribuintes que tem imposto a pagar, daqueles que não tem, pelas diferentes conseqüências que advém em cada caso.
7. Desta forma, não há interpretação equivocada da legislação por parte do Autor, como argumenta a Ré, tampouco inconformidade com a questão de se aplicar ou não multa por atraso em entrega de declaração.
8. O objeto da lide, ao contrário do que concluiu a Ré em sua defesa, não se refere à interpretação da Lei 8.981/95, mas sim, a existência de uma inconstitucionalidade na aplicação do referido dispositivo legal que deverá ser reparada pelo Poder Judiciário.
9. Tal inconstitucionalidade verificou-se pela desigualdade com que foi tratado o Autor quando lhe aplicaram a penalidade de multa pelo atraso na entrega da DIRPF.
10. Ensina o mestre Celso Antônio Bandeira de Mello, em seu clássico Conteúdo Jurídico do Princípio da Igualdade (Malheiros Editores, São Paulo, 3ª Ed., pág. 9):

"Rezam as constituições - e a brasileira estabelece no art. 5º, caput - que todos são iguais perante a lei. Entende-se, em concorde unanimidade, que o alcance do princípio não se restringe a nivelar os cidadãos diante da norma legal posta, mas que a própria lei não pode ser editada em desconformidade com a isonomia."

11. O Autor apurou e quitou seu imposto no prazo de lei, não tendo, no entanto, entregue sua DIRPF em tal prazo.
12. Desta feita tem-se que descumpriu apenas a obrigação tributária acessória, assim como aqueles contribuintes que não apuram imposto a pagar e que não apresentam DIRPF (inciso II, Art. 88, Lei 8.981/95)
13. No entanto, a Lei 8.981/95, em seu Art. 88, I, lhe equiparou àqueles contribuintes que, além de não pagarem seu imposto, ainda não apresentam a DIRPF, ou seja, que descumprem duas obrigações tributárias, a principal e a acessória.
14. Ora, esta equiparação de contribuintes em situações diferentes demonstra evidente afronta à isonomia - princípio da igualdade, que não pode subsistir, pena de manter-se uma inconstitucionalidade.
ISTO POSTO, reitera o Autor todos os argumentos e pedidos dispostos na inicial, em especial pelo integral provimento da presente demanda para anular a penalidade de multa de R$ ______ decorrente do inciso I do Art. 88 da Lei 8.981/95, por ser inaplicável à infração cometida, substituindo-a pela penalidade de R$ 165,74, prevista no inciso II da referida Lei.
Termos em que

Pede e espera deferimento.
____________, ___ de ____________ de 20__.
p.p. ____________
OAB


Veja mais modelos de documentos de: Petição - Tributário
Mandado de segurança de compensação de crédito tributário
Pedido de anulação de lançamentos fiscais referentes ao ISSQN, por falta de fundamento legal para
Apresentação de esclarecimentos da notificação de débito do ICMS
Indeferimento do pedido de verificação de processo
Inconstitucionalidade de cobrança de salário-educação
Embargos à execução fiscal de dívida ativa
Compensação da correção monetária do COFINS
INSS requer a substituição de bem penhorado, com o objetivo de constrição sobre o faturamento da
ICMS de energia elétrica
Agravo de instrumento contra decisão que declarou ineficaz a nomeação dos bens à penhora
Impetração de mandado de segurança com pedido de deferimento de medida liminar, ante à exigência
Suspensão dos efeitos da decisão "a quo" em ação anulatória