Clique aqui para ir para a página inicial
 

Pular Links de Navegação
»
Home
Contato
Calculadoras
Consultoria
Conteúdo
Cotações
Perfil/Testes
Serviços
Parceiros
Mapa site
[HyperLink1]
Cadastrar
 
    
Você está em:   IGF Modelos de documentos Petição Previdenciário Recurso especial em ação previdenciária

Petição - Previdenciário - Recurso especial em ação previdenciária


 Total de: 15.244 modelos.

 
Recurso especial em ação previdenciária.

 

EXMO. SR. DR. JUIZ PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA .... REGIÃO

O INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL - INSS, neste ato representado por seu procurador ex lege, nos autos acima referidos, em que contende com ....., comparece frente a Vossa Excelência para interpor o presente

RECURSO ESPECIAL

com fulcro no art. 105, III, "a" da Constituição, nos termos das razões anexas.

Isto posto, requer-se a Vossa Excelência seja dado ao feito o devido processamento, com a remessa dos autos ao C. Superior Tribunal de Justiça.

Nesses Termos,
Pede Deferimento.

[Local], [dia] de [mês] de [ano].

[Assinatura]






EGRÉGIO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA

O INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL - INSS, neste ato representado por seu procurador ex lege, nos autos acima referidos, em que contende com ...., comparece frente a Vossa Excelência para interpor o presente

RECURSO ESPECIAL

pelos motivos de fato e de direito a seguir aduzidos.

SENHORES MINISTROS

DOS FATOS

O E. TRF-4ª havia declarado, nos termos do art. 97 da Constituição Federal, a inconstitucionalidade do critério de conversão dos benefícios previdenciários em URV, constante do art. 20, I e II, da Lei nº 8.880/94.

No presente processo foi provido o pedido de incorporação do IRSM integral de janeiro de 1994 (40,25%) e de fevereiro de 1994 (39,67%), antes da conversão dos benefícios em URV.

O fundamento para o provimento do pedido foi a declaração da inconstitucionalidade mencionada acima.

DO DIREITO

Com a devida vênia, o erro do v. acórdão ora recorrido consiste em concluir que, a partir da declaração de inconstitucionalidade do critério de conversão previsto no art. 20, I e II, da Lei nº 8.880/94, seria devida a incorporação do IRSM de janeiro e fevereiro de 1994 antes da conversão.

O erro é fácil de ser visto. Pergunta-se: supondo que a expressão "nominal", constante do apontado art. 20 da Lei nº 8.880/94, seja realmente inconstitucional, como disse o E. TRF-4ª Região, qual seria a conseqüência jurídica no tocante ao cabimento da incorporação dos índices pleiteados antes da conversão dos benefícios em URV?

Os benefícios foram convertidos em URV no dia 01/03/94. Havia alguma norma, em 01/03/94, a determinar a incidência do IRSM de janeiro e fevereiro antes dessa conversão?

A resposta é não.

E é assim porque o art. 39, da MP nº 434, de 27/02/94, convertido no art. 43, da Lei nº 8.880/94, revogou o dispositivo que iria conceder, em 01/03/94 e em 01/05/94, as antecipações e reajustes baseadas na variação do IRSM de janeiro e fevereiro.

Não havia, portanto, qualquer dispositivo de lei, em 01/03/94, a determinar o reajuste, pelo IRSM, dos benefícios previdenciários que iriam compor o cálculo do novo valor em URV. E não havia porque o art. 39, da MP nº 434, de 27/02/94, convertido no art. 43, da Lei nº 8.880/94, revogou-os.

Assim, com a devida venia, a conseqüência jurídica da declaração de inconstitucionalidade do critério de conversão previsto no art. 20, I e II, da Lei nº 8.880/94, não tem o alcance dado pelo v. acórdão recorrido.

Como se viu, o art. 39, da MP nº 434, de 27/02/94, convertido no art. 43, da Lei nº 8.880/94, revogou os dispositivos que iriam conceder os reajustes pleiteados, de modo que não há direito ao IRSM integral de janeiro e fevereiro de 1994 antes da conversão por absoluta falta de amparo legal.

Vale dizer: é defeso ao Judiciário, com a devida vênia, legislar. Ele pode declarar inconstitucional uma norma. Não pode, porém, ignorar a existência da revogação de normas por uma outra norma, salvo se declarar inconstitucional a norma que determinou a revogação. Isso não foi feito.

O que ocorreu no caso concreto foi uma violação expressa ao art. 39, da MP nº 434, de 27/02/94, e ao art. 43, da Lei nº 8.880/94, no momento em que se determinou a incidência de dispositivos da Lei nº 8.542/92 e da Lei nº 8.700/93, que tinham sido por revogados expressamente pelos art. 39, da MP nº 434, de 27/02/94, e ao art. 43, da Lei nº 8.880/94.

Vejamos o que disse o v. acórdão ora recorrido:

"Com efeito, dispondo o artigo 20, inciso I, da Lei nº 8.880/94, que seria utilizado o 'valor nominal' dos benefícios previdenciários nos referidos meses para efeito da conversão, e, tendo em vista que o único modo de atender ao mandamento constitucional, de preservação dos valores reais dos benefícios, seria a aplicação da integralidade do índice inflacionário eleito pelo legislador até o momento da conversão, correta a declaração de inconstitucionalidade da aludia expressão (...)"(V. acórdão recorrido, fls. 153, original sem destaques)

Como se pode bem notar, o v. acórdão recorrido foi expresso ao afirmar que, na sua opinião, o único modo de garantir a "preservação dos valores reais dos benefícios" seria mediante a aplicação do IRSM de janeiro e fevereiro de 1994, ao seu ver, "eleito pelo legislador até o momento da conversão"

Repetimos: não havia qualquer índice "eleito pelo legislador" no momento da conversão a determinar a incidência dos percentuais pleiteados. As normas que determinariam a incorporação pleiteada foram revogadas pelo art. 39, da MP nº 434, de 27/02/94, e pelo art. 43, da Lei nº 8.880/94, antes da conversão.

Repetimos: o que fez o v. acórdão ora recorrido foi "ignorar" a norma jurídica que revogou, em 28/02/94, o direito que iria existir em 01/03/94: as normas que determinavam o reajuste/antecipação pelo IRSM foram revogadas, antes da conversão, pelos art. 39, da MP nº 434, de 27/02/94, e pelo art. 43, da Lei nº 8.880/94,

Com a devida venia, essa revogação não pode ser ignorada.

Portanto, a conclusão é óbvia: ainda que, como pretende o TRF- 4ª Região, seja inconstitucional a expressão "nominal" do art. 20, da Lei nº 8.880/94 (o que não concordamos, mas que admitimos somente para argumentar), não tem essa suposta inconstitucionalidade o condão de conferir ao autor o direito à incorporação do IRSM pleiteada, posto que os artigos (art. 39, da MP nº 434, de 27/02/94, e pelo art. 43, da Lei nº 8.880/94) que revogaram, antes da ocorrência do direito adquirido, os dispositivos que iriam conceder o direito ao reajuste/antecipação (constantes da Lei nº 8.542/92 e Lei nº 8.700/94) não foram julgados inconstitucionais.

Assim, somente se o v. acórdão ora recorrido tivesse declarado a inconstitucionalidade do art. 39, da MP nº 434, de 27/02/94, e do art. 43, da Lei nº 8.880/94, é que teria o autor direito à incorporação pleiteada. Isso, porém, inocorreu.

DOS PEDIDOS

Diante do exposto, ainda que seja admitida a inconstitucionalidade do critério de conversão do art. 20, I e II, da Lei nº 8.880/94, por violência ao art. 39, da MP nº 434, de 27/02/94, e ao art. 43, da Lei nº 8.880/94, requer o INSS seja o v. acórdão reformado, para que fique expresso que o autor não tem direito à incorporação do IRSM integral de janeiro e fevereiro de 1994, e seja julgada improcedente a ação.

Nesses Termos,
Pede Deferimento.

[Local], [dia] de [mês] de [ano].

[Assinatura]


Veja mais modelos de documentos de: Petição - Previdenciário
Homologação judicial
Pedido de restabelecimento, em face do INSS, de auxílio-doença a portador de HIV
Mandado de Segurança em face de determinação de recolhimento previdenciário em prazo inferior ao
Reajuste de benefício previdenciário auferido do INSS
Juntada do cálculo de liquidação da sentença, pelo autor.
Pedido de reajuste de benefício previdenciário (04)
Apelação para para fins de majoração do coeficiente de cálculo de aposentadoria por tempo de cont
Mandado de segurança impetrado em face de exigência de valor indevido para recolhimento previdenc
Impugnação à contestação, alegando o autor a suficiência de provas para a condenação do INSS no d
Concessão de benefícios em virtude da avó
Pedido de revisão de aposentadoria por tempo de contribuição do cônjuge falecido
Pedido de concessão de beneficio para menor portador de esquizofrenia