Clique aqui para ir para a página inicial
 

Pular Links de Navegação
»
Home
Contato
Calculadoras
Consultoria
Conteúdo
Cotações
Perfil/Testes
Serviços
Parceiros
Mapa site
[HyperLink1]
Cadastrar
 
    
Você está em:   IGF Modelos de documentos Petição Administrativo Defesa administrativa para anular auto de infração de trânsito

Petição - Administrativo - Defesa administrativa para anular auto de infração de trânsito


 Total de: 15.245 modelos.

 
Defesa administrativa para anular auto de infração de trânsito.

 

ILMO. SR. DIRETOR DA POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL DE ..........

....., brasileiro (a), (estado civil), profissional da área de ....., portador (a) do CIRG n.º ..... e do CPF n.º ....., residente e domiciliado (a) na Rua ....., n.º ....., Bairro ....., Cidade ....., Estado ....., por intermédio de seu (sua) advogado(a) e bastante procurador(a) (procuração em anexo - doc. 01), com escritório profissional sito à Rua ....., nº ....., Bairro ....., Cidade ....., Estado ....., onde recebe notificações e intimações, vem mui respeitosamente à presença de Vossa Senhoria, apresentar

DEFESA ADMINISTRATIVA

em face de

auto de infração lavrado por polícia rodoviária federal, pelos motivos de fato e de direito a seguir aduzidos.

DOS FATOS

No dia ..../..../...., o recorrente transitava pela rodovia BR ........., conduzindo o veículo ........, de sua propriedade, quando na altura do Km ......, foi abordado por um Policial Rodoviário Federal, que aplicou-lhe duas autuações, uma por ultrapassar em faixa dupla contínua e outra pelo fato do veículo encontrar-se indevidamente licenciado.

No tocante à multa por ultrapassagem em faixa dupla contínua nada há a questionar-se.

No entanto, a multa relativa ao fato do veículo encontrar-se indevidamente licenciado, esta não se justifica, senão vejamos:

Consoante consta do auto de infração mencionado, cuja cópia segue inclusa, o veículo em questão foi considerado como não estando devidamente licenciado, pelo fato do recorrente não portar o comprovante de recolhimento do seguro obrigatório.

Ocorre, no entanto, que inexiste na Legislação Pátria, alguma Lei que determine que o comprovante de recolhimento de seguro obrigatório é de porte obrigatório.

DO DIREITO

Note-se que o artigo 133 do CNT, apenas determina ser de porte obrigatório o Certificado de Licenciamento Anual.

Veja que o legislador, quanto ao documento de porte obrigatório, fez questão de discriminá-lo na Lei, não deixando a questão a critério de Portarias ou Resoluções.

Aliás, é norma constitucional e regra comezinha de Direito, que ninguém é obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de Lei.

Ressalte-se, outrossim, que não é desconhecido que o § 2º do artigo 131 do CNT estabeleça que :

"O veículo somente será considerado licenciado estando quitados os débitos relativos a tributos, encargos e multas de trânsito e ambientais, vinculadas ao veículo, independente da responsabilidade pelas infrações cometidas"

No entanto, é cristalino, salta aos olhos, que não compete à Polícia Rodoviária fiscalizar os débitos inerentes ao veículo, pois em momento algum o legislador exigiu que o motorista carregasse consigo os comprovantes de recolhimentos de débitos, tributos, encargos e multas, tanto de trânsito como ambientais, bem como previu e estabeleceu a criação de meios para que o "Policial de Estrada" pudesse fiscalizar débitos.

Tão somente compete à Polícia Rodoviária fiscalizar o Certificado de Licenciamento Anual, pois apenas este é de porte obrigatório, segundo a Lei, o restante da documentação deve ser fiscalizado pela Polícia Civil, no ato do licenciamento do veículo, sendo requisitos necessários à expedição do novo certificado.

Não pode, de maneira alguma, o policial, ou alguma eventual Resolução ou Portaria, pretender mudar a Lei, ou esticá-la, eis que se trata de norma que impõe penalidade, e é regra básica de Direito, que a norma que impõe sanção deve ser interpretada restritivamente, não podendo nem mesmo ser aplicada por analogia.

Ressalte-se também, que não condiz com os critérios da Justiça, a utilização de dois pesos e duas medidas, assim sendo, se a Polícia Rodoviária vai exigir a apresentação de comprovante de recolhimento do seguro obrigatório, deve então exigir também certidão negativa de multas de trânsito e ambientais, se quiser fazer valer o § 2º do artigo 131 do CNT, e com isto vai tornar inviável a vida do motorista.

Deve ser lembrado também, que o veículo do requerente não foi apreendido, sendo certo que se realmente o mesmo tivesse infringido o artigo 230, inciso V, do CNT, como o policial rodoviário fez constar do auto de infração em tela, deveria ter ele feito valer a Lei, ou seja, deveria ter apreendido o veículo, consoante consta ao final do dispositivo citado, pois se assim não procedendo, teria cometido crime de prevaricação.

Ressalte-se por fim, que consoante demonstra o documento incluso, o seguro obrigatório do veículo em questão, encontra-se devidamente recolhido desde o dia ...../...../......

Deste modo, é evidente que o recorrente não poderia ter sido multado sob a alegação de que o seu veículo não se encontrava devidamente licenciado, pois é certo que estava.

Analisando de forma criteriosa a situação, constatamos que na realidade o recorrente não foi multado porque seu veículo não se encontrava devidamente licenciado, mas sim, porque ele não portava o comprovante de recolhimento do seguro obrigatório.

A multa aplicada, tem base no artigo 230, V, do CNT, o qual dispõe:


"Conduzir o veículo:

V- que não esteja registrado e devidamente licenciado."

Como já dito, comprova o documento incluso, que o veículo do requerente encontrava-se, no ato da fiscalização, devidamente licenciado, de modo que não pode ser ele multado sob a alegação de que não estava.

Se a Polícia Rodoviária não dispõe de meios para verificar se o requerente pagou ou não o seguro obrigatório do veículo, não pode pretender culpá-lo por isso. O cidadão não pode ser obrigado a carregar consigo documento que a Lei não exige, para suprir a falta de aparelhamento e de informações de que sofrem os órgãos federais, estaduais e municipais.

DOS PEDIDOS

Diante do exposto, sendo evidente a irregularidade existente, respeitosamente requer-se de V. Sª., seja o presente recurso julgado inteiramente procedente, para determinar o cancelamento da multa inerente a irregularidades no licenciamento do veículo do requerente, constante do Auto de Infração de nº ................, como medida de Justiça.

Nesses Termos,
Pede Deferimento.

[Local], [dia] de [mês] de [ano].

[Assinatura do Advogado]
[Número de Inscrição na OAB]


Veja mais modelos de documentos de: Petição - Administrativo
Pedido de revisão de prova do exame da OAB
Mandado de segurança - concursos
Representação na Ordem dos Advogados do Brasil, por falta de urbanidade de advogada
Impugnação à contestação em ação anulatória de ato jurídico
Informações em Mandado de segurança em que a impetrada afirma que os alunos estão impedidos de co
Mandado de segurança em face de ato do diretor do Detran que fez constar na guia de recolhimento
Contra razões de apelação no sentido de que, em desapropriação, os honorários de advogado são cal
Impetração de mandado de segurança para possibilitar a matrícula de acadêmico na turma original
Mandado de segurança impetrado contra ato de presidente da comissão especial de licitação estadua
Defesa prévia, em razão de multa de trânsito por excesso de velocidade, sob alegação de primaried
Ação cautelar de sustação de protesto com pedido de liminar
Recurso administrativo referente à auto de infração por acidente de trânsito