Clique aqui para ir para a página inicial
 

Pular Links de Navegação
»
Home
Contato
Calculadoras
Consultoria
Conteúdo
Cotações
Perfil/Testes
Serviços
Parceiros
Mapa site
[HyperLink1]
Cadastrar
 
    
Você está em:   IGF Modelos de documentos Petição Tributário Contestação à ação em que a parte pretende a não incidência de ICMS sobre operação

Petição - Tributário - Contestação à ação em que a parte pretende a não incidência de ICMS sobre operação


 Total de: 15.244 modelos.

 
Contestação à ação em que a parte pretende a não incidência de ICMS sobre operação.

 

EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA ... VARA DA FAZENDA PÚBLICA DE ...

AUTOS Nº .....

A FAZENDA DO ESTADO, por seu Procurador, vem à presença de V. Exa., respeitosamente, nos autos da ação ordinária movida por ..., com fulcro nos artigos 188 e 300 do Código de Processo Civil, apresentar

CONTESTAÇÃO

à ação ordinária, em que é autora ....., visando a não incidência de ICMS sobre operação, pelos motivos de fato e de direito a seguir aduzidos.

PRELIMINARMENTE

1) DA INÉPCIA DA PETIÇÃO INICIAL

O pedido deve ser certo e determinado. Faz-se mister, ademais, seja ele individualizado.

Tais determinações não foram observadas pela autora, que, ao formular o pedido, não individualizou nenhuma operação.

Ora, o pedido formulado pela autora tende a uma decisão com efeito normativo, o que é verdadeira absurdidade em nosso sistema jurídico.

Impõe-se, destarte, o reconhecimento, in casu, de inépcia, por impossibilidade jurídica do pedido (CPC, art. 295, § único, III).

2) DA AUSÊNCIA DE INTERESSE DE AGIR

Serve-se a autora do expediente técnico da cumulação de ações (objetiva).

Relativamente à ação declaratória negativa, é ela incabível, pois está ausente o requisito fundamental do interesse de agir.

Ora, para que a ação declaratória em matéria fiscal preencha o mencionado requisito, é imperioso que o tributo esteja em vias de ser lançado, de acordo com as precisas observações de ........:

"Por conseguinte, se o tributo está em vias de ser lançado, é preciso preliminarmente verificar a existência de coação, vale dizer, a intenção da autoridade administrativa de cobrar o tributo, reputado indevido, e de direito líquido e certo, i.e., aquele que resulta de fatos incontestes, admitindo-se, para prová-lo, apenas evidência documental. Verificados esses dois pressupostos, cabe o mandado de segurança preventivo ... Na ausência de qualquer dos dois pressupostos acima referidos, a ação cabível é a declaratória." (Ação Declaratória em Matéria Fiscal, in Enciclopédia Saraiva do Direito, SP, Saraiva, 1977, v. 2, p. 288)

Em parte alguma da petição inicial a autora faz sequer a mais leve referência à iminência de lançamento do ICMS. Mesmo que, ad argumentandum tantum, se admita que haja a mencionada iminência, não foi ela provada quando da propositura da ação - momento em que deveria tê-lo sido (CPC, arts. 283 e 396; J. J. CALMON DE PASSOS, Comentários ao Código de Processo Civil, Rio, Forense, 1989, v. III, p. 207). De tudo isso decorre, necessariamente, a carência de ação (CPC, art. 267, VI, in fine).

Mas a ausência de interesse de agir não se circunscreve à ação declaratória negativa, estando também presente na anulatória de débito fiscal. Ora, a autora não comprova a ocorrência de autuação. Em outras palavras, ela não carreou aos autos nenhuma indicação da existência de crédito tributário constituído. Assim, sobre não poder mais fazê-lo, em virtude do fenômeno da preclusão temporal, não tem interesse de agir (vai-se anular que débito fiscal?), justificando-se, como se percebe, o reconhecimento, também aqui, da carência de ação.

DO MÉRITO

DOS FATOS

A autora pretende, por meio da presente ação, tornar certo que não incide o ICMS nas operações descritas na petição (consignação de veículos), bem como anular todas as dívidas ativas inscritas ainda não objeto de execução fiscal, valendo-se da asserção de que as atividades que realiza constituem serviços sujeitos à incidência do ISS (mera intermediação).

Comprovar-se-á, em seguida, que as alegações da autora não têm nenhum fundamento, não merecendo, portanto, a acolhida de V. Exa.

DO DIREITO

Caso V. Exa. haja por bem adentrar-se na análise do mérito, perceberá, igualmente, o total descabimento das alegações da autora.

A grande verdade é que o ICMS incide nas operações objeto da presente demanda. Explicar-se-ão, a seguir, os motivos.

O que primeiro salta aos olhos quando se diz que a autora realiza consignações de veículos automotores é que ela é figura central nas operações em apreço, pois é responsável pelas vendas.

Tais colocações ficam absolutamente claras com a leitura da doutrina especializada:

"Ao consignatário (que é quem retém a mercadoria) compete tomar as providências para a venda ..." (CARLOS ALBERTO BITTAR, Contratos Comerciais, Rio, Forense Universitária, 1990, p. 58)

Ademais, a autora, responsável, como se viu, pelas vendas, é sociedade comercial: nessa qualidade, é, indubitavelmente, contribuinte do ICMS, pouco importando que o particular não é daqueles que da mercancia fazem sua profissão.

Apesar do fato de a autora não ter a propriedade dos bens dados em consignação, é responsável, quando das vendas, por uma saída ficta, sobre a qual incide, sem a menor sombra de dúvida, o ICMS. Descabe, portanto, a alegação de que a "intermediação" constitui serviço tributável pelo ICMS.

Não se pode, por fim, olvidar que "circulação de mercadorias" se não confunde com transferência de propriedade - abrange, na verdade, igualmente a transferência de posse, que é justamente o que faz a autora (consignatária) quando da realização de uma venda de veículo em consignação.

A título de reforço das teses aqui aventadas, tragam-se à colação os ensinamentos da melhor doutrina pátria:

"... o ICM assenta sobre qualquer operação realizada com a mercadoria, isto é, qualquer negócio jurídico, ato jurídico relevante ou operação econômica, que ocasione a saída.

A natureza específica da "operação realizada", isto é, o negócio jurídico, que motiva ou dá causa à saída, é irrelevante do ponto de vista fiscal. Quase sempre se prende a uma compra e venda mercantil ou a uma consignação." (ALIOMAR BALEEIRO, Direito Tributário Brasileiro, Rio, Forense, 1977, p. 204; grifamos)

"Contribuinte (do ICM, hoje ICMS) é quem tem direito subjetivo à propriedade e posse da mercadoria, para fazê-la sair do local onde se acha ou para transferir ... contribuinte é o comerciante, o industrial ou o produtor, que "promove" a saída da mercadoria. Promover ... significa exercitar aquele direito de fazer a saída da coisa móvel num negócio jurídico ou numa operação econômica." (idem, ibidem, p. 231; grifamos)

"A raiz do ICM reside no antigo imposto de vendas e consignações ...
(...)

Sob o ângulo econômico, o atual ICM era o mesmo IVC ..." (JOSÉ CRETELLA JR., Curso de Direito Tributário Constitucional, Rio, Forense Universitária, 1993, p. 163; grifamos)

"A titularidade das operações concernentes à circulação de mercadorias é entregue a comerciantes, meramente intermediários, que adquirem a matéria, bruta ou industrializada, e com ela negociam, alienando-a ..." (JOSÉ CRETELLA JR., op. cit., p. 164)

DOS PEDIDOS

Diante de todo o exposto, pede a Ré seja extinto o processo sem julgamento do mérito, por inépcia e falta de interesse de agir (CPC, art. 267, I e VI).

Em sendo, no entanto, repelidas as preliminares aventadas, pede a Ré se digne V. Exa. de julgar IMPROCEDENTE a ação, de forma que a autora suporte o pagamento das custas e despesas processuais, bem como dos honorários advocatícios.

Protestando pelo acompanhamento das provas deferidas à autora, de quem é, aliás, o ônus probatório (CPC, art. 333, I), e contestando o al por negativa geral,

Nesses Termos,
Pede Deferimento.

[Local], [dia] de [mês] de [ano].

[Assinatura do Advogado]
[Número de Inscrição na OAB]


Veja mais modelos de documentos de: Petição - Tributário
Interposição de medida cautelar de depósito, para fins de prevenção de futura execução fiscal
Impugnação à nomeação de títulos da dívida pública como garantia de execução
Mandado de segurança contra despacho de negativo de pedido de reinclusão no REFIS
Impugnação a contestação apresentada
Acórdão pelo qual foi dado provimento à Apelação manejada pela União Federal
Embargos à execução por defeito de representação
Restituição de empréstimo compulsório sobre o consumo de energia elétrica
Ação declaratória de inexigibilidade de tributo cumulada com repetição de indébito
Mandado de segurança contra ato de inspetor da Fazenda Pública que primou pela incidência de trib
Mandado de segurança coletivo
Processo administrativo fiscal do ISS
Inexigibilidade da CPMF