Clique aqui para ir para a página inicial
 

Pular Links de Navegação
»
Home
Contato
Calculadoras
Consultoria
Conteúdo
Cotações
Perfil/Testes
Serviços
Parceiros
Mapa site
[HyperLink1]
Cadastrar
 
    
Você está em:   IGF Modelos de documentos Petição Trabalhista Reclamatória trabalhista de desconto bancário

Petição - Trabalhista - Reclamatória trabalhista de desconto bancário


 Total de: 15.244 modelos.

 

FGTS - HORA EXTRA - FÉRIAS - AVISO PRÉVIO - DESCONTO BANCÁRIO - BANCÁRIO

EXMO. SR. DR. JUIZ DA MM .... VARA DO TRABALHO DE .................

.... (qualificação), residente e domiciliado na comarca de ...., na Rua .... nº ...., portador da Cédula de Identidade/RG nº .... e CPF/MF sob nº ...., por seu advogado e procurador adiante assinado (instrumento de mandato), com endereço na Rua .... nº ...., onde recebe as comunicações dos atos processuais, vêm, respeitosamente, perante essa d. Vara, propor

RECLAMATÓRIA TRABALHISTA

contra ...., pessoa jurídica de direito privado, inscrita no CGC/MF nº ...., estabelecida nesta comarca, na Av. .... nº ...., onde poderá ser notificada, pelas razões abaixo aduzidas:

1) Contrato de Trabalho

O autor foi contratado em .../.../... e dispensado sem justa causa em .../.../..., sendo indenizado do aviso prévio.

Recebeu as verbas constantes do Termo Rescisório, entretanto a menor.

Teve como maior remuneração a importância mensal de R$ ....

2) Projeção Aviso Prévio

O autor foi dispensado do cumprimento do aviso prévio, sendo o mesmo indenizado consoante o Termo Rescisório anexo.

O parágrafo 1º, do artigo 487 da CLT, determina que o período do aviso prévio integra o tempo de serviço para todos os efeitos. Deve incidir o FGTS sobre o aviso prévio e demais direitos como se laborando estivesse.

Entretanto, como vemos pelo termo rescisório, o autor não recebeu o FGTS sobre o aviso indenizado, os vales-refeição e o auxílio cesta alimentação, nos termos convencionais, referente ao período.

O Enunciado 305 do TST, assim dispõe:

"O pagamento relativo ao período de aviso prévio, trabalhado ou não, está sujeito à contribuição para o FGTS."

Tem direito, portanto, o autor, de receber o FGTS mais a multa de 40% (11,2%) sobre o aviso prévio, da mesma forma que faz jus ao recebimento dos vales-refeição referente ao mês do aviso, em número de .... e o auxílio cesta alimentação em número de .... tíquetes, nos valores determinados pelas convenções coletivas de trabalho.

Requer a incidência de FGTS sobre o aviso prévio.

3) Horas Extras 7ª e 8ª

A caracterização das exceções do parágrafo 2º, do artigo 224 consolidado, pressupõem requisitos subjetivos e objetivos, sem os quais não há como excepcionar o bancário da jornada normal de 6 horas diárias.

O reclamante era tido pelo reclamado como excepcionado da jornada normal de 6 horas, haja vista tê-lo como exercente de cargo de confiança, com jornada normal de 8 horas.

O autor era denominado de Gerente Administrativo, entretanto, não exercia funções de gerência, porquanto totalmente subordinado aos outros gerentes da agência e com toda sorte de limitações. Enfim, desenvolvia apenas misteres burocráticos e corriqueiros de uma agência bancária.

Inexistia, pois, o requisito subjetivo para amparar a fidúcia.

Não bastasse, o requisito objetivo se encontrou ausente em determinado período: .../... até .../...

No período citado, a chamada comissão de cargo não era paga nos moldes convencionais, qual seja, ....% sobre os salários.

Para exemplificar calculamos a verba no mês de .../...:

Salário base R$ ....

Adicional Tempo Serviço R$ ....

Antecipação Legal R$ ....

Antecip. Sal. Comp. R$ ....

R$ .... x ....% = R$ .... (Comissão devida)

Comissão de Cargo paga: R$ ....

Diferença R$ ....

E, assim, nos meses seguintes as diferenças persistem.

Ainda, em entendimento de recente julgado do TRT da ....ª Região, tem-se que o parágrafo 2º, do artigo 224 da CLT perdeu a eficácia a partir de .../.../..., ante a não recepção dessa norma pelo novo texto constitucional, fazendo com que a jornada dos bancários seja sempre de .... horas, sem exceção.

Ementa: BANCÁRIO ENQUADRADO NO PARÁGRAFO SEGUNDO DO ART. 224 DA CLT. NÃO RECEPÇÃO DA NORMA CONSOLIDADA PELA CF/88. DIREITO À 7A e 8a COMO EXTRAS - O art. 224, parágrafo 2º da CLT, deve ser aplicado até 05/10/88. A partir daí perdeu sua eficácia, não foi recepcionado pela atual Constituição Federal, que no seu artigo 7º, XVI, estabeleceu remuneração do serviço extraordinário superior, no mínimo, a 50% a hora normal. Recurso adesivo do reclamante a que se dá parcial provimento para deferir como extras às horas excedentes da 6ª diária, a partir de 05/10/88." (TRT-PR-RO 2.291/91 - Ac. 1ª T. - 4.481/92 - Rel. designado Juiz Pretextato Pennafort Taborda Ribas Netto - publicado no DJ/PR de 19/06/92, pg. 63)

Faz "jus" o autor ao recebimento das 7ª e 8ª horas laboradas como extras - duas diárias - com adicional de 50%, nos termos da Carta Magna, com reflexos nos descansos semanais remunerados, incluídos os sábados por previsão convencional; nas férias com o terço constitucional, nas gratificações natalinas; no aviso prévio e no FGTS com a multa de 40%.

Ainda, faz jus em receber as diferenças da comissão de cargo no período de .... a .../..., com reflexos legais.

4) Horas Extras além da 8ª

O autor sempre laborou em jornada elastecida, além da 8ª diária, sem, entretanto, receber a contraprestação devida.

Auferiu algumas horas extras, entretanto, muito aquém do devido, conforme se verifica nos demonstrativos de pagamento dos meses de .../...; .../...; .../... e ..../....

A jornada de trabalho média cumprida era das .... horas às .... horas, nos .... primeiros dias do mês, vez que tinha que abrir o Posto de Serviços de pagamento do INSS e nos restantes, das .... horas às .... horas, com intervalo de .... minutos para refeição, que era realizada dento da própria agência, ou nos arredores.

Era desrespeitado, portanto, o intervalo mínimo intrajornada.

Chegou a encerrar o expediente às .... horas.

Aliás, é comum a ré ser autuada através de fiscalização do trabalho, no tocante ao descumprimento da legislação referente a jornada de trabalho, conforme se verifica nos documentos anexos.

O autor também laborava aos sábados, em média de .... por mês, em reuniões promovidas pela ré, com duração média de .... horas, conforme os documentos anexos.

Deve receber, então, as horas extras laboradas além da ....ª, em número de .... horas diárias, nos primeiros .... dias do mês e em número de .... horas e .... minutos, diárias, nos dias restantes do mês, com o adicional de 50%, e .... horas extras aos sábados, com o adicional de 100%, com reflexos nos descansos semanais remunerados, incluídos os sábados por previsão convencional , nas férias com o .... constitucional, nas gratificações natalinas, no aviso prévio e no FGTS com a multa de 40%.

5) Horas Extras em Viagens e Cursos

O autor era obrigado pela ré a participar de cursos e reuniões fora da sede laboral, inclusive em finais de semana.

Em .../... participou da Reunião de Objetivos na Comarca de ...., tendo saído de .... às .... horas do dia .../.../... e retornado às .... horas do dia .../.../...

Todo o tempo que estava fora da sede laboral deve ser considerado extraordinário, pelo que tem direito a receber .... horas extras.

De .../.../... a .../.../... participou do curso de .... no horário das .... horas e .... minutos às .... horas e .... minutos, num total de .... horas, conforme documentos ....

Tem direito, portanto, de receber tais horas como extraordinárias.

As horas extras devem ser adicionadas de 50% e refletirem nos descansos semanais remunerados (sábados, domingos e feriados), nas férias com o terço, nas gratificações natalinas e no FGTS com a multa de 40%.

6) Horas à Disposição

O autor podia ser chamado a qualquer momento, fora do horário de expediente, e aos sábados e domingos, para atender qualquer emergência ocorrida na agência bancária, tais como disparo de alarmes ou vigiar reparos e manutenção na agência, efetuados por terceiros fora do expediente bancário, conforme se verifica pelos documentos anexos.

Tal situação inibia a disponibilidade de tempo do autor, caracterizando tempo à disposição do empregador.

Tem direito, portanto, a receber como extraordinário esse tempo que ia das .... horas às .... horas, em dias normais, considerando-se a redução da hora noturna, o adicional de noturno de 35%, conforme as cláusulas convencionais e o adicional de 50% e todas as horas dos sábados e domingos, considerando-se a redução da hora noturna, o adicional noturno de 35% e o adicional de 100%.

Alternativamente, se assim não se entender, fará jus em receber tais horas como de sobreaviso em analogia aos ferroviários nos termos do parágrafo 2º, do artigo 244 da CLT, na razão de 1/3 da hora normal, com os reflexos legais.

Reflexos das horas extraordinárias à disposição nos descansos semanais remunerados (sábados, domingos e feriados), nas férias com o terço constitucional, nas gratificações natalinas, no aviso prévio e no FGTS com a multa de 40%.

7) Horas Extras - Plano Real

Quando da implantação do "Plano Real" em .../..., o autor foi compelido a trabalhar nos dias .... e .... (sábados), no horário das .... horas às .... horas, e nos dias .... e .... (domingos), no horário das .... horas às .... horas, para fazer frente às mudanças da sistemática monetária.

Tem direito, portanto, de receber como extras todas as horas laboradas, num total de .... horas, com o adicional de 100%, vez que cumpridas em dias de repouso.

8) Equiparação Salarial

Em .../... o autor substituiu o Sr. .... nos seus misteres na agência, quando da transferência deste para agência na Rua ...., na aplicação da política da ré em revezar os funcionários por todas as agência, sendo o autor egresso da ....

Ocorre, que apesar de desenvolver atividades idênticas as do Sr. ...., os salários eram diferenciados, com o autor recebendo remuneração inferior em ....% conforme se verifica pelos documentos ....

Tem direito, por conseguinte, nos termos do artigo 461 consolidado, de receber as diferenças salariais apuradas entre a sua remuneração e a do paradigma apontado, a partir de .../..., com reflexos nas férias com o terço constitucional, nas gratificações natalinas, no aviso prévio e no FGTS com a multa de 40%.

9) Pagamentos Indevidos

Em .../... o autor foi responsabilizado e obrigado a pagar a importância de R$ ...., em .... parcelas de R$ ...., descontadas em conta corrente sob a rubrica "pena pecuniária", com o argumento de suposto prejuízo, ocasionado por "golpe de estelionato" de cliente em conta corrente de cheque no valor de R$ ....

O valor foi dividido pelos funcionários da área, cabendo ao autor a responsabilidade por 30%.

Ora, o suposto prejuízo é de responsabilidade do empregador, que é o dono do negócio, e deve assumir seus riscos, jamais transferi-los aos seus empregados. Se não divide com eles os lucros, não há como dividir os prejuízos. E, no caso, ainda mais grave, impondo aos empregados a totalidade do suposto prejuízo.

A imposição de tais pagamentos é ilegal, pelo que devem ser ressarcidos, devidamente corrigidos.

10) Férias

O artigo 130, I, consolidado, determina que o empregado terá 30 dias corridos de férias após o período aquisitivo de 12 meses.

O artigo 143 consolidado faculta ao empregado converter 1/3 do período de férias em abono pecuniário.

Ocorre que o autor jamais teve a faculdade ou a opção de escolher entre gozar os 30 dias de férias ou converter 1/3 em abono pecuniário, sendo sempre obrigado pelo réu a gozar somente 20 dias de férias, recebendo o restante em pecúnia.

Ora, o gozo de férias é direito indisponível e obrigar o autor a "vender" parte dela caracteriza fraude desse direito.

Há que se entender, então, que o autor foi tolhido em .... dias de férias em cada período aquisitivo, .... dias no total, fazendo jus em recebê-los em dobro (artigo 137 consolidado), acrescidos do terço constitucional.

11) Remuneração Variável

O autor recebia em folha verba denominada de Remuneração Variável (a partir de .../... passou a ser denominada de Part. Variável).

Tal remuneração nada mais era do que comissões por auferimento de lucro com a venda de papéis e valores mobiliários.

O caráter salarial é evidente, vez que pagas em contraprestação de serviço.

O réu só considerava a verba apontada como salarial para efeito do FGTS que era recolhido normalmente, não o fazendo, entretanto, com os demais reflexos, como o pagamento do descanso semanal remunerado (Lei nº 605, de 05 de janeiro de 1949), bem assim com os pagamentos de férias e gratificações natalinas.

Tem direito, por conseguinte, na incorporação da Remuneração Variável aos salários para todos os efeitos legais, com os pagamentos dos reflexos nos descansos semanais remunerados (incluídos os sábados por previsão convencional), nas férias acrescidas do terço constitucional, nas gratificações natalinas e no aviso prévio.

Ainda, os pagamentos dos reflexos dos descansos semanais postulados acima, nas férias com o terço constitucional, nas gratificações natalinas, no aviso prévio e no FGTS com a multa de 40%.

12) Descontos Ilegais

Eram descontadas dos salários do autor importâncias pertinentes a ...., ...., .... e ....

Tais descontos são ilegais nos termos do artigo 462 da CLT, pois não se tratam de adiantamentos previstos nos dispositivos de lei ou em contrato coletivo, institutos que excepcionam a proibição.

Ainda, os citados descontos contrariam o artigo 6º, da Convenção da OIT nº 95, ratificada pelo Brasil e incorporada ao nosso ordenamento jurídico.

Os valores descontados sob os títulos acima deve, pois, ser ressarcidos, devidamente corrigidos.

Ante as irregularidades apontadas supra, o autor postula:

FGTS (11,2%) sobre o aviso prévio, .... vales refeição e .... de auxílio cesta alimentação, conforme fundamentos no item "2";

Horas extras, 7ª e 8ª - .... diárias - com o adicional de 50%, conforme fundamentos no item "3";

Horas extras, além da 8ª, em número de .... horas diárias, nos primeiros .... dias do mês e em número de .... horas e .... minutos diárias, nos dias restantes, com o adicional de 50%, conforme fundamentos no item "4";

Horas extras em cursos e viagens, em número de .... horas, com o adicional de 50%, conforme fundamentos no item "5";

.... horas extras, com o adicional de 100%, pelo labor nos dias ...., ...., .... e .... de .... de ...., conforme fundamentos no item "7";

Consideração como tempo à disposição e respectivo pagamento como extraordinário do período das .... horas às .... horas, diariamente, de .... a ...., com o adicional de 50% e todo o período dos ...., .... e ...., com adicional de 100%, considerando a redução da hora noturna e o adicional noturno de 35%, conforme fundamentos no item "6";

Alternativamente ao pedido da letra "....", acima, o recebimento do período das .... horas às .... horas, diariamente, de .... a .... e todo o período dos ...., .... e feriados, como horas de sobreaviso, na razão de .... sobre a hora normal, conforme fundamentos no item "6";

Reflexos das horas extras postuladas nas letras "....", "....", "....", "...." e "....", acima, nos descansos semanais remunerados, considerados como ...., .... e ....;

Diferenças da comissão de cargo no período de .... a .../..., conforme fundamentos no item "3";

Diferenças salariais, ante a equiparação com o paradigma apontado, a partir de .../..., na ordem de ....% sobre os salários percebidos, conforme fundamentos no item "8";

Devolução da importância de R$ ...., devidamente corrigida, conforme fundamentos no item "9";

Pagamento de .... dias de férias, em dobro, com o .... constitucional, conforme fundamentos no item "10";

Reflexos da verba remuneração variável/participação variável nos descansos semanais remunerados, entendidos como ...., .... e ...., e com a inclusão destes, nas férias com o .... constitucional, nas gratificações natalinas e no aviso prévio, conforme fundamentos no item "11";

Devolução, devidamente corrigidos, dos descontos ilegais, conforme fundamentos no item "12";

Reflexos das verbas, postuladas nas letras ...., acima, nas férias acrescidas do .... constitucional, nas gratificações natalinas, no aviso prévio e no FGTS com a multa de ....%;

Composição de todas as verbas salariais recebidas e ora pustuladas para efeito do cálculo das horas extras, com o divisor ....;

Honorários advocatícios.

As importâncias postuladas acima serão apuradas em regular liquidação de sentença.

Para efeito de alçada, dá-se à causa o valor de R$ ....

"Ex positis", requer a notificação do réu, para que, desejando, responda aos termos da presente, sob pena de revelia, protestando pela produção de todas as provas admitidas em direito, especialmente, pelo depoimento pessoal do preposto do réu, sob pena de confissão.

Pela procedência dos pedidos, acrescidos de correção monetária e juros, são os

Termos em que,

Pede deferimento.

...., .... de .... de ....

..................
Advogado


Veja mais modelos de documentos de: Petição - Trabalhista
Recurso ordinário para fins de reforma de sentença que julgou pela existência de vínculo empregat
Apresentação de cálculos pelo reclamante, com pedido de intimação para que o reclamado pague o va
Extração de carta de sentença de reclamatória trabalhista
Ação de indenização em face de ex-empregadora, a qual difamou e injuriou o autor em jornal de gra
Reclamação trabalhista de hora extra e aviso prévio
Contestação de reclamatória trabalhista de telefonista
Ação de indenização por acidente do trabalho, interposta pelo Ministério Público como substituto
Acordo trabalhista
Ação cominatória cumulada com indenização face à inexatidão na prestação dos serviços
Reclamatória trabalhista visando indenização por acidente de trabalho, além do recebimento de ver
Reclamação trabalhista de intervalo intra-jornada e hora extra
Execução trabalhista para retenção obrigatória