Clique aqui para ir para a página inicial
 

Pular Links de Navegação
»
Home
Contato
Calculadoras
Consultoria
Conteúdo
Cotações
Perfil/Testes
Serviços
Parceiros
Mapa site
[HyperLink1]
Cadastrar
 
    
Você está em:   IGF Modelos de documentos Petição Trabalhista Reclamação trabalhista de salário maternidade

Petição - Trabalhista - Reclamação trabalhista de salário maternidade


 Total de: 15.244 modelos.

 

SALÁRIO MATERNIDADE

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DR. JUIZ PRESIDENTE DA ___ VARA DO TRABALHO DA COMARCA DE _____________ - UF

A reclamante iniciou seus serviços na reclamada na data de 15/02/1999, para ocupar a função de farmacêutica, recebendo, mensalmente o salário de R$ _______.

Porém, na data de 01/04/2000, a reclamada surpreendeu a autora com a demissão sem justa causa, sem lhe pagar as verbas rescisórias devidas, sendo que a reclamante encontrava-se no terceiro mês de gravidez.

A despedida imotivada da reclamante se constitui em desrespeito à legislação vigente, que assegura à gestante a estabilidade provisória, conforme se constata pelo artigo 7º, XVIII da CF e arts. 391 a 393 da CLT

De acordo com o artigo 391 da Consolidação das Leis do Trabalho, não constitui justo motivo para a rescisão do contrato de trabalho da mulher o fato de haver contraído matrimônio ou de encontrar-se em estado de gravidez.

A propósito, cita as seguintes jurisprudências:

"EMPREGADA GESTANTE. GARANTIA DE EMPREGO.

Com a confirmação da gravidez no curso do período obrigatório de aviso prévio, a empregada adquire a estabilidade provisória do emprego, sendo ineficaz a despedida sem justa causa.

ACORDAM os Juízes da 3ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região:

Por maioria, vencidos parcialmente os Exmos. Juízes Maria Guilhermina Miranda e Antônio Johann, EM DAR PROVIMENTO PARCIAL AO RECURSO para absolver a recorrente da condenação em honorários de assistência judiciária, autorizar os descontos previdenciários e fiscais cabíveis na forma da lei.

(Recurso Ordinário nº 96.032927-7, 3ª Turma do TRT da 4ª Região, São Leopoldo, Relª. Nires Maciel de Oliveira. Recorrente: Massa Falida de Mizzou Componentes de Calçados Ltda. Recorrida: Maria Ines Falcão. j. 29.10.1998)."

GESTANTE. SALÁRIO-MATERNIDADE.

Faz jus a empregada gestante, demitida sem justa causa, ao pagamento dos salários correspondentes ao período da estabilidade gestacional, desde a despedida -11/05/95- até cinco meses após o parto, em conformidade com o previsto no art. 10, inciso II, letra "b" do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias da Constituição Federal/1988. ACORDAM os Juízes da 1ª TURMA do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região, por maioria, vencidos em parte, com votos díspares, os Exmos. Juízes Relator, Revisora, Carmen Camino e Hugo Eduardo Giudice Paz, dar provimento parcial ao recurso da reclamante, para deferir-lhe o pagamento dos salários correspondentes ao período de estabilidade gestacional a partir de 05.11.95; adicional de horas extras sobre as horas destinadas à compensação de horário e reflexos em aviso prévio, férias com 1/3, 13º salários, repousos semanais e feriados e FGTS; diferenças de horas extras, pela contagem minuto a minuto, assim entendidas as excedentes da compensação, com os mesmos reflexos.

(Recurso Ordinário nº 02421.271/95-9, 1ª Turma do TRT da 4ª Região, Osório, Rel. Ari da Silva Mattos. Recorrente: Laurita Dias Cardoso. Recorrida: Calçados Beira Rio Ltda. j. 10.02.1999).

"ESTABILIDADE PROVISÓRIA - GESTANTE.

Evidenciada, de forma hábil, a concepção ainda na vigência do contrato de trabalho, faz jus a autora aos salários do período de 02.04.96 até 15.05.96. Incidência, na espécie, do art. 10, II, do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, que, em sua alínea b, veda a dispensa arbitrária ou sem justa causa, desde a confirmação da gravidez até cinco meses após o parto.

ACORDAM os Juízes da 1ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região: por maioria de votos, vencidos em parte e com votos díspares os Exmos. Juízes Revisor, Pedro Luiz Serafini e Edir Inácio da Silva, DAR PROVIMENTO PARCIAL AO RECURSO para autorizar os descontos fiscais e previdenciários cabíveis.

(Recurso Ordinário nº 96.035957-5, 1ª Turma do TRT da 4ª Região, Porto Alegre, Relª. Maria Helena Mallmann Sulzbach. Recorrente: Recreio Infantil Pantera Cor de Rosa Ltda. Recorrida: Silvana Pfeiffer Di Santo. j. 29.07.1998)."

ISTO POSTO, reclama:

a) pagamento das seguintes verbas rescisórias:

a. 1) aviso prévio;

a. 2) férias proporcionais;

a. 3) 13º salário proporcional;

b) salário-maternidade

Diante do exposto, requer a notificação da reclamada, para, querendo, contestar a presente ação, sob pena de revelia e confissão, e sua condenação ao pagamento das custas e honorários advocatícios.

Protesta pela produção de todas as provas admitidas em direito, como testemunhal, documental e, o depoimento pessoal do representante legal da reclamada, o que, desde já, requer.

Dá-se à causa o valor de R$ _________.

Nestes termos

Pede e espera deferimento

___________, ____ de ________ de ______.

Advogado

OAB/


Veja mais modelos de documentos de: Petição - Trabalhista
Requer adicional noturno
Reclamação trabalhista de hora extra e aviso prévio
Abertura de inquérito para apuração de falta grave de embriaguez
Recurso ordinário interposto de sentença que condenou o reclamado ao pagamento de horas extras a
Reclamação trabalhista de recolhimento previdenciário
Ação trabalhista para recebimento de horas extras
Réplica à contestação, pugnando a reclamante pelo reconhecimento de vínculo empregatício, pagamen
Pedido de manutenção de desconstituição de penhora, em execução trabalhista, sobre imóvel residen
Interposição de embargos de terceiro requerendo-se a suspensão da execução, ante a penhora de bem
Contestação alegando que o reclamante foi contratado para prestar serviço temporário
Exceção de incompetência em razão do lugar
Interposição de agravo de instrumento em sede trabalhista, tendo em vista decisão que denegou seg