Clique aqui para ir para a página inicial
 

Pular Links de Navegação
»
Home
Contato
Calculadoras
Consultoria
Conteúdo
Cotações
Perfil/Testes
Serviços
Parceiros
Mapa site
[HyperLink1]
Cadastrar
 
    
Você está em:   IGF Modelos de documentos Petição Civil e processo civil Ação cobrança-indisponibilidade de bens

Petição - Civil e processo civil - Ação cobrança-indisponibilidade de bens


 Total de: 15.244 modelos.

 
Ação cobrança-indisponibilidade de bens

 

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz de Direito da ---Vara Cível de Curitiba - PR.

E1I------------------------ (IEL/PR), pessoa jurídica de direito privado com sede em Curitiba-PR, na Avenida --------, nº, Centro Cívico, Curitiba-PR, inscrito no CNPJ/MF sob o nº , por seus advogados, nos autos (de nº ) de AÇÃO DE COBRANÇA, em que é Autor o Espólio de ----------- e Ré ----- Ltda., comparece respeitosamente perante Vossa Excelência, na qualidade de terceiro prejudicado (art. 499 do CPC), para requerer o reconhecimento de nulidade de intimação, com base no art. 236, §1º do CPC.

1.O ora Peticionário está em litígio com o Autor do presente feito em outras questões judiciais em trâmite na _ª Vara Cível. Busca-se, naquele processo, ressarcimento por danos provocados pelo Sr. ------------------- quando este presidia o Instituto ora Peticionário.
Assim, ingressou espontaneamente nos presentes autos para informar que fora proferida r. decisão judicial que determinou o seqüestro dos bens do Autor dos presentes autos, solicitando que fossem "(...) tomadas as providências necessárias para que aquela r. decisão seja efetivada, impedindo-se a transferência dos bens objeto da medida cautelar de seqüestro."
2.Desta forma, passou a figurar na lide na condição de terceiro prejudicado, na medida em que os valores objeto da presente ação também deveriam ser seqüestrados, visando excluir qualquer risco da utilidade do provimento buscado na ação ordinária em trâmite na 1ª Vara Cível.
Assim, informou também outra decisão liminar de seqüestro favorável, prolatada no âmbito de Ação de Improbidade Administrativa, em trâmite na _ª Vara da Fazenda Pública, movida pelo Ministério Público contra o autor da presente demanda.
3.Ocorre que foi prolatada r. sentença (de fls. 144-145) nos presentes autos, tendo o ora Peticionário interposto embargos de declaração em face daquela r. decisão. Posteriormente (em 13.03.2007), tais embargos foram julgados e foi proferida nova r. decisão que negou provimento ao recurso. Entretanto, o ora Peticionário não foi intimado dessa decisão (fl. 270). Note-se que na certidão de publicação do despacho (fl. 296), não constam nem o nome do IEL/PR, nem o de seus procuradores, pelo que a intimação é manifestamente nula.
Tem-se, assim, clara ofensa ao art. 236, §1º do CPC, quando este afirma ser "(...) indispensável, sob pena de nulidade, que da publicação constem os nomes das partes e de seus advogados, suficientes para sua identificação." - grifamos.
Nesse sentido, confiram-se os seguintes precedentes do Superior Tribunal de Justiça:
· "Intimação. Publicação do nome da parte e de seu advogado. Litigância de má-fé. Precedentes da Corte.
1. É imperativo que seja publicado o nome da parte e de seu advogado, sob pena de se impor nova publicação para que se aperfeiçoe a intimação.
2. Confirmada a errada informação da data da juntada da petição com o nome da nova advogada, capaz de alterar o julgado, não há como reformar a decisão que reconheceu a litigância de má-fé.
3. Recurso especial conhecido e provido, em partes." - grifo nosso.
(STJ. 3ª Turma. REsp 474.157 - RJ, Rel. Min. Menezes Direito. Julg. 11.04.2003. DJU 02.06.2003).
· RESCISÓRIA - EMBARGOS INFRINGENTES - FALTA DE INTIMAÇÃO DO ADVOGADO DE DOIS RECORRIDOS - NULIDADE.
- É obrigatória a intimação de todas as partes por meio dos respectivos advogados. A circunstância de os causídicos assinarem em conjunto as petições formuladas por litisconsortes não dispensa a intimação individual dos respectivos patronos.
(STJ. 3ª Turma. REsp 468.130 - MT, Rel. Min. Gomes de Barros. Julg. 01.04.2004. DJU 26.04.2004).
· "PROCESSUAL CIVIL. DECISÃO INTERLOCUTÓRIA DETERMINANDO AO AUTOR-RECORRENTE QUE PROMOVA A CITAÇÃO DA LITISCONSORTE PASSIVA NECESSÁRIA: UNIÃO FEDERAL. AUSÊNCIA DO NOME DE QUALQUER DOS PATRONOS DO AUTOR-RECORRENTE DA PUBLICAÇÃO DO ATO JUDICIAL. NULIDADE DA INTIMAÇÃO: OCORRÊNCIA. PRECEDENTES. RECURSO PROVIDO.
I - E NULA A INTIMAÇÃO - E POR CONSEQÜÊNCIA, OS ATOS PROCESSUAIS POSTERIORES , QUANDO NÃO CONSTAR DA PUBLICAÇÃO O NOME DE NENHUM DOS ADVOGADOS DA PARTE A QUAL O ATO JUDICIAL E DIRIGIDO.
II - INTELIGÊNCIA DO PAR. 1. DO ART. 236 DO CPC.
III - PRECEDENTES DO STJ: RESP 36.265/MG, RESP 36.482/RS, RESP 2.929/BA, RESP 58.575/RJ E RESP 4.133/RO.
IV - RECURSO ORDINÁRIO CONHECIDO E PROVIDO."
(STJ. 2ª Turma. RMS 3346 - PR, Rel. Min. Adhemar Maciel. Julg. 17.02.1997. DJU 14.04.1997).
4.Note-se que a ausência de intimação do ora Peticionário lhe causa graves prejuízos na medida em que ficou impossibilitado de contestar a decisão, o que viola inclusive os princípios da ampla defesa e do contraditório, consagrados pela Constituição da República.
5.Não se diga também que o ora Peticionário tomou conhecimento espontâneo da decisão dos embargos de declaração, o que se admite apenas quando fica comprovada ciência inequívoca nos autos, o que, data vênia, jamais ocorreu.
O advogado, que é o mesmo para ambas as partes, formulou petições (fls. 303-305) alegando que o ora Peticionário tomou conhecimento das decisões por "ocasião dos novos requerimentos" formulados. Indicou-se que o IEL/PR deu-se por ciente da r. decisão de fl. 270, proferida no âmbito dos embargos de declaração, pela petição de fls. 271-285.
5.1Em primeiro lugar, o Peticionário apenas tratou de informar ao d. juízo que fora prolatada decisão liminar determinando a indisponibilidade dos bens do autor naquela petição, tendo inclusive anexado ao petitório a r. decisão proferida pela _ª Vara da Fazenda Pública. Ou seja, tratou-se de assunto inteiramente novo e alheio à decisão dos embargos.
5.2Em segundo lugar, o ora Peticionário não formulou recursos pelo fato de não ter conhecimento da decisão. A petição informativa nunca afirmou ciência inequívoca da r. decisão por parte do Peticionário: os autos não foram retirados em carga e a petição jamais fez qualquer referência à decisão proferida à fl. 270.
6.Desta forma, resta claro que mesmo que a decisão dos embargos de declaração tenha sido clara ao determinar a intimação das partes, isso evidentemente não ocorreu com relação ao ora Peticionário, devendo ser declarada a nulidade de intimação.
Pede Deferimento.
Curitiba, 10 de julho de 2007.
p.p. ___________________________ p.p. __________________________

ADVOGADO ADVOGADO
OAB OAB

_________________________

ADVOGADO
OAB

 


Veja mais modelos de documentos de: Petição - Civil e processo civil
Ação de exoneração de pensão alimentícia
Purgação da mora em despejo por falta de pagamento
Ação de consignação em pagamento, tendo em vista o reajuste abusivo do valor do aluguel
Advogado informa que não tem provas a produzir e pugna pela tutela antecipatória
Juntada de cópia da sentença
Contestação à ação popular por ilegalidade do objeto
Ação de despejo por extinção do contrato de trabalho
Contra-razões de recurso especial de revisão de contrato
Apelação em ação declaratória de nulidade de cláusulas de contrato de consórcio
Alegações finais, reiterando-se o pedido de anulação de título cambial ante à inexistência de neg
Medida cautelar de separação de corpos
Agravo regimental interposto de indeferimento de liminar, por parte de relator, em mandado de seg