Clique aqui para ir para a página inicial
 

Pular Links de Navegação
»
Home
Contato
Calculadoras
Consultoria
Conteúdo
Cotações
Perfil/Testes
Serviços
Parceiros
Mapa site
[HyperLink1]
Cadastrar
 
    
Você está em:   IGF Modelos de documentos Petição Administrativo Impetração de mandado de segurança para suspensão de multa de veículo

Petição - Administrativo - Impetração de mandado de segurança para suspensão de multa de veículo


 Total de: 15.244 modelos.

 
Impetração de mandado de segurança para suspensão de multa de veículo, fornecimento de certidão negativa de débito e permissão de transferência do automóvel.

 

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA VARA DA FAZENDA PÚBLICA DA COMARCA DE .... - ESTADO DO .....

....., brasileiro (a), (estado civil), profissional da área de ....., portador (a) do CIRG n.º ..... e do CPF n.º ....., residente e domiciliado (a) na Rua ....., n.º ....., Bairro ....., Cidade ....., Estado ....., por intermédio de seu (sua) advogado(a) e bastante procurador(a) (procuração em anexo - doc. 01), com escritório profissional sito à Rua ....., nº ....., Bairro ....., Cidade ....., Estado ....., onde recebe notificações e intimações, vem mui respeitosamente à presença de Vossa Excelência impetrar

MANDADO DE SEGURANÇA

em face de

ato abusivo e ilegal do Sr. Diretor do Departamento Estadual de Trânsito, pelos motivos de fato e de direito a seguir aduzidos.

DOS FATOS

O impetrante é proprietário de um veículo marca ...., modelo ...., cor ...., placa ...., Renavam nº .... e nesta qualidade procurou aliená-lo, tendo que requerer junto ao órgão impetrado a respectiva certidão negativa de multas.

Porém, para sua surpresa, o impetrado impôs uma série de multas, razão pela qual, de forma ilegal e abusiva, não pode alienar o veículo de sua propriedade, recaindo sobre o impetrante, inúmeras multas por infração ao Código Nacional de Trânsito, no exorbitante valor de R$ .... (....), conforme relação anexa.

Inconformado, procurou se inteirar das multas aplicadas, surpreendendo-se em encontrar nas mesmas, situações totalmente improcedentes e inaceitáveis, evidenciando-se tentativa de cobrança ilegal e coativa das penalidades.

Não aceita o método de imposição de tais penalidades, não só porque não são devidas, mas também porque são impostas e aplicadas coercitivamente e de forma ilegal.

As multas aplicadas por supostas infrações as normas legais de trânsito, são efetivadas de modo totalmente divorciado da sistemática legal que regra tal atividade administrativa.

Esses atos administrativos são vinculados as normas legais de trânsito e tem que obedecer os trâmites estabelecidos em tais normas.

Tal não ocorre in casu, pois embasam-se exclusivamente em talões de infrações preenchidos por guardas de trânsito, em geral despreparados para a função que exercem, em procedimento ilegal, como veremos.

As multas aplicadas devem sujeitar-se a julgamento pela autoridade competente, iniciando-se um processo contencioso administrativo, vinculado as prescrições legais, com os requisitos da instauração, notificação, defesa do acusado, instrução e julgamento.

Destes princípios, o mais celebre é o da defesa, preservado em nosso texto constitucional.

No caso presente, não houve instauração de processo a que se refere a lei e, tampouco o posterior julgamento e aplicação, fugindo radicalmente aos trâmites estabelecidos pela norma jurídica, constituindo-se em ato abusivo, ilegal e inconstitucional.

Com efeito, ao impetrante foram aplicadas várias multas, sem a formalização do processo administrativo contraditório, sem notificação válida, sem defesa e sem o julgamento pela autoridade competente. Há, portanto, notória ilegalidade no ato impugnado.

Apenas a título de esclarecimento, convém ressaltar que o órgão impetrado considera notificado o infrator pela simples autuação no bloco de multas e o mero destacamento do talão deste bloco já efetiva-se a citação do infrator, colocando muitas vezes este talonário no vidro do veículo e outras vezes nem colocando.

Ademais, mesmo admitindo-se válido este procedimento, resta que o autuado não tem o seu direito de defesa, pois já é intimado a recorrer da infração à segunda instância administrativa - Junta Administrativa de Recursos e Infrações - JARI e não na instância ordinária e inicial, competente para julgamento da autuação e aplicação da penalidade incidente.

Quem compete instaurar o processo contraditório administrativo é o diretor do DETRAN ou órgão com delegação deste e não a JARI, que é segunda instância administrativa.

Note-se bem que tanto o CTN como o seu regulamento estabelecem que cabe recurso à JARI das decisões que aplicarem as penalidades. Esta decisão somente pode ser concebida como proferida em processo administrativo regular.

O que se verifica, de forma contrária ao direito positivo, é que o simples guarda de trânsito aplica a multa, concomitantemente instaura o processo administrativo regular e profere a decisão, sem notificar o acusado e sem lhe dar oportunidade de defesa.

Esta anomalia jurídica já encontrou na jurisprudência a sua repudia.

DO DIREITO

Os princípios de citação, defesa e julgamento, para a validade de imposição das multas, ter-se-ão que restar obedecidos, sob pena de nulidade. Neste aspecto, o ilustre administrativista Hely Lopes Meirelles, em sua obra "Direito Administrativo Brasileiro", pags. 626 e 627, doutrina:

"É um princípio universal dos estados de direito que não admite postergação, nem restrições na sua aplicação. Processo administrativo sem oportunidade de defesa, ou defesa cerceada, é nulo."

Destarte, a exigência de pagamento de supostas infrações e sobretudo nulas e ilegais, está extrapolando os poderes que foram conferidos ao impetrado, ferindo direito líquido e certo do impetrante, de ter expedida a certidão negativa de multas, a fim de que possa alienar livremente o seu veículo.

Efetivamente o impetrante não pode alienar o seu veículo, visto que, o impetrado não autoriza a venda e nem aceita a transferência ao adquirente quando houver multas aplicadas.

A tese do impetrante, além de encontrar guarida na sistemática jurídica, encontra respaldo na manifestação jurisprudencial pacífica, como segue:

"Multas oriundas de infrações de trânsito: No sistema do Código Nacional de Trânsito, a multa não decorre de mera autuação. Há de ser imposta por autoridade competente, decorrente do devido exame e competente julgamento da autuação, tudo conforme com os arts. 112 e 113 do CNT." (Ac. Unânime do TJ PR em 23.03.68, Rel. Des. Ariel do Amaral).

"Mandado de Segurança - multas de trânsito - negada expedição de certidão negativa para alienação do veículo - Direito de defesa. Necessidade de prévia notificação do infrator. Segurança concedida." (Apel. Cível 1637/82, 3ª Câm. Cível, TJ PR, Rel. Des. Henrique Cesar).

DOS PEDIDOS

Isto posto, requer à Vossa Excelência que se digne receber o presente mandamus suspendendo-se Liminarmente a exigência do pagamento das absurdas e ilegais multas, determinando-se ainda que seja oficiado ao impetrado, para fornecer a respectiva certidão negativa de débito ou permitir a transferência de propriedade do veículo.

Requer ainda, que ao final seja confirmada a segurança concedida liminarmente, declarando o ato administrativo impugnado como ilegal, em proteção ao direito líquido e certo do impetrante violado pelo mesmo ato.

Requer finalmente que seja oficiado ao impetrado, para, querendo, forneça as devidas informações a este Douto Juízo.

Dá-se à causa o valor de R$ ......

Nesses Termos,
Pede Deferimento.

[Local], [dia] de [mês] de [ano].

[Assinatura do Advogado]
[Número de Inscrição na OAB]


Veja mais modelos de documentos de: Petição - Administrativo
Ação anulatória de crédito tributário
Informações em Mandado de Segurança
Ação indenizatória - Prejuízos causados por transmissão de rádio
Alegações finais em representação de advogada junto à Ordem dos Advogados do Brasil
Pedido de declaração de nulidade do ato de exoneração, com a reintegração ao cargo de funcionário
Impetração de mandado de segurança, sob alegação de falta de nomeação em concurso público de pess
Medida cautelar inominada de sustação de protesto de duplicata
Oferecimento de caução real em cautelar de sustação de protesto
Impetração de mandado de segurança em face de óbice à realização de matrícula escolar
Medida cautelar de sustação de protesto de boleto de cobrança bancária
Exceção de incompetência - acidente de trânsito - foro do lugar do fato
Contestação à representação apresentada contra advogado perante a OAB