Clique aqui para ir para a página inicial
 

Pular Links de Navegação
»
Home
Contato
Calculadoras
Consultoria
Conteúdo
Cotações
Perfil/Testes
Serviços
Parceiros
Mapa site
[HyperLink1]
Cadastrar
 
    
Você está em:   IGF Modelos de documentos Petição Trabalhista Recurso ordinário em reclamatória trabalhista

Petição - Trabalhista - Recurso ordinário em reclamatória trabalhista


 Total de: 15.244 modelos.

 
Recurso ordinário em reclamatória trabalhista.

 

EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA .... VARA DO TRABALHO DE ..... ESTADO DO .....

AUTOS Nº .....

....., pessoa jurídica de direito privado, inscrita no CNPJ sob o n.º ....., com sede na Rua ....., n.º ....., Bairro ......, Cidade ....., Estado ....., CEP ....., representada neste ato por seu (sua) sócio(a) gerente Sr. (a). ....., brasileiro (a), (estado civil), profissional da área de ....., portador (a) do CIRG nº ..... e do CPF n.º ....., por intermédio de seu advogado (a) e bastante procurador (a) (procuração em anexo - doc. 01), com escritório profissional sito à Rua ....., nº ....., Bairro ....., Cidade ....., Estado ....., onde recebe notificações e intimações, vem mui respeitosamente, nos autos de reclamatória trabalhista proposta por ...., à presença de Vossa Excelência apresentar


RECURSO ORDINÁRIO

de decisão de fls. ....., que julgou parcialmente procedente a reclamatória trabalhista, violando princípios constitucionais, pelos motivos de fato e de direito a seguir aduzidos.

Requer seja o presente recurso conhecido e posteriormente remetido ao Egrégio tribunal Regional do Trabalho da ..... Região, para que dele conheçam e lhê dêem provimento.

Junta comprovante de pagamento de depósito recursal

Nesses Termos,
Pede Deferimento.

[Local], [dia] de [mês] de [ano].

[Assinatura do Advogado]
[Número de Inscrição na OAB]




EGRÉGIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA ..... REGIÃO

AUTOS Nº .....
RECORRENTE ....
RECORRIDO ....

....., pessoa jurídica de direito privado, inscrita no CNPJ sob o n.º ....., com sede na Rua ....., n.º ....., Bairro ......, Cidade ....., Estado ....., CEP ....., representada neste ato por seu (sua) sócio(a) gerente Sr. (a). ....., brasileiro (a), (estado civil), profissional da área de ....., portador (a) do CIRG nº ..... e do CPF n.º ....., por intermédio de seu advogado (a) e bastante procurador (a) (procuração em anexo - doc. 01), com escritório profissional sito à Rua ....., nº ....., Bairro ....., Cidade ....., Estado ....., onde recebe notificações e intimações, vem mui respeitosamente, nos autos de reclamatória trabalhista proposta por ...., à presença de Vossa Excelência apresentar

RECURSO ORDINÁRIO

pelos motivos de fato e de direito a seguir aduzidos.

DAS RAZÕES DE RECURSO ORDINÁRIO

Eméritos julgadores

PRELIMINARMENTE

1.Do foro privilegiado

Preceitua o CPC no artigo 411, VI :Art. 411. São inquiridos em sua residência, ou onde exercem a sua função:VI - os senadores e deputados federais;

No caso em tela, não foi observada disposição legal inerente ao cargo ocupado pelo Recorrente, apesar de solicitado às fls.25.

Dessa forma, faz-se necessário, seja elidida a Revelia e consequentemente seja observada a disposição legal apresentada e via de conseqüência seja reaberta a audiência inicial para apresentação de defesa, bem como juntada de documentos e demais meios de prova em Direito admitidos sua defesa

2.Da Inicial eivada de vício de identificação:Preceitua o artigo 282 do CPC e Art. 282.

A petição inicial indicará:II - os nomes, prenomes, estado civil, profissão, domicílio e residência do autor e do réu;
Vislumbra-se da CLT em seu artigo 840 :Art. 840.

A reclamação poderá ser escrita ou verbal.§ 1º. Sendo escrita, a reclamação deverá conter a designação do presidente da Junta, ou do juiz de Direito, a quem for dirigida, a qualificação do reclamante e do reclamado, uma breve exposição dos fatos de que resulte o dissídio, o pedido, a data e a assinatura do reclamante ou de seu representante.

Dos entendimentos doutrinários :

"O autor, ao propor a ação, pede seja efetivada providência jurisdicional contra outrem, em razão de determinados acontecimentos.
Este será chamado para se defender.

É preciso que os envolvidos estejam perfeitamente identificados, a fim de participarem do processo e suportarem os ônus dele decorrentes.

Normalmente são indicados os nomes, a nacionalidade, o estado civil, a profissão, o domicílio e o endereço das partes, como o é feito no processo civil comum.

A despeito de não constar expressamente a obrigação de fornecer o endereço das partes, percebe-se tratar de elemento essencial para o desenvolvimento do processo, ou seja, é dado imprescindível à comunicação dos atos processuais.

Diga-se, ainda, que o local onde a parte reside, muitas vezes, pode ser critério de fixação da competência do juízo.

É mister buscar uma solução integrativa para suprir a lacuna da legislação processual trabalhista: socorre-se da previsão constante do art. 282, II, do CPC (13) e, não estando corretamente identificada o endereço das partes, o Juiz deverá determinar que o autor emende ou complemente a petição inicial".

Fernando A. V. Damasceno (Juiz Presidente do TRT da 10ª Região) - PETIÇÃO INICIAL - REQUISITOS (Publicada na ST n.º 74 - AGO/95, pág. 7)Os requisitos da petição inicial trabalhista são:(...)

b) a qualificação do reclamante e do reclamado;Jorge Luiz Souto Maior(Juiz do Trabalho) - PETIÇÃO INICIAL TRABALHISTA (Publicada na ST n.º 95 - MAI/97, pág. 7)Ínclitos Julgadores :

A CLT e o CPC são claros ao dispor sobre os requisitos da Petição Inicial.

Segundo os citados diplomas, e o entendimentos dos estudiosos do Direito Trabalhista (opiniões supra-narradas),entre seus requisitos está a qualificação das partes.Recorreremos mais uma vez à doutrina, com a licença do Silogismo aqui utilizado:

Segundo Maximilianus Cláudio Américo Füher, "partes são as pessoas que pedem ou em face das quais se pede em nome próprio, a tutela jurisdicional", no mesmo sentido, Schönke, Rosenberg, Amaral santos, Frederico Marques e Gabriel de Rezende Filho.

Extrai-se o conceito de qualificação do artigo 282, II do CPC, qual seja :

Art. 282. A petição inicial indicará:II - os nomes, prenomes, estado civil, profissão, domicílio e residência do autor e do réu;Vistos, cabe logicamente ao Reclamante a eleição do pólo passivo da relação processual.

Assim, se este não reclamar contra a pessoa certa, física ou jurídica, assumirá o risco de ver decretada a carência ou a improcedência da ação.

A carência de ação configura-se quando não concorrer qualquer das suas condições, como a possibilidade jurídica, a legitimidade das partes e o interesse processual, hipóteses em que deve ser extinto o processo, sem julgamento do mérito, conforme art. 267 do CPC.

"No caso em tela, vislumbra-se da petição inicial, que a Reclamação é proposta contra "

(...)Márcio Reinaldo Dias Moreira, brasileiro, casado, Deputado Federal, residente e domiciliado sito à FHIS, Q.24, Conj. 03, casa 02, Lago Sul, Brasília - DF (...)".
Inicialmente, cabe destacar que o Recorrido, laborava na Fazenda do Recorrente, a qual, está devidamente registrada no CEI sob o n.° ............

Sabe-se que o contribuinte não sujeito ao CNPJ será identificado pela matrícula CEI (Cadastro Específico do INSS).Art. 2º do Decreto n.º 76.900/75O empregador isento de inscrição no CNPJ é identificado pelo número de matrícula no CEI.

Nessa categoria, incluem-se obras, empregadores pessoas físicas, urbanas e rurais, que mantiveram empregados.

Ora, ínclitos Julgadores, a pessoa física do Recorrente não é parte passiva legítima no processo.

Em nosso entendimento, acompanhando a sábia Doutrina, o Empregador e eventual legítima parte passiva é a Empresa Rural, devidamente registrada no CEI sob o n.° ................, ..........., com endereço descrito em todos os documentos acostados ao processo, senão vejamos:

Vislumbra-se dos documentos juntados pelo próprio Reclamante, que em todos eles, inclusive nas cópias da CTPS acostadas às fls. 08 e 09, identifica-se o empregador com o endereço do Sítio .......... (fls.08/09 e 14/17).

Ainda, nenhum dos documentos acostados aos Autos, faz alusão ao endereço narrado no preâmbulo da Exordial a fim de que se efetivasse a Notificação, muito pelo contrário, ratifica-se, todos eles dão como endereço do empregador, o Sítio onde laborava o Recorrido (fls.09, 14/16).

Enunciado 16 TSTA Notificação no processo do trabalho não necessita ser entregue pessoalmente, bastando que a mesma seja entregue ao endereço do destinatário para que se presuma realizada a citação.

Assim, de acordo com o Enunciado acima, a notificação deveria ter sido entregue, a fim de se presumir-se válida, no endereço do Reclamado, ou seja, no ............. onde laborava o Recorrido.

Contudo, não o foi, e desta feita, não pode ser considerada válida. Oportuno se faz lembrar, que a Notificação é juris tantum, ou seja, presumida até que se prove ao contrário.

Do verdadeiro endereço residencial do Recorrente :

O Recorrente é residente e domiciliado nesta Capital Federal, sito à 113/SUL, Bloco "H", Apto. 402, onde ainda reside esposa e filha menor.O endereço constante do preâmbulo da Inicial, e para onde naturalmente foi enviada a Notificação Postal, se refere ao endereço da casa da primogênita do Recorrente, cedida por este à mesma, quando da ocasião de seu noivado.

Insta ainda esclarecer, que a primogênita do Recorrente, é médica residente do HUB, onde especializar-se-á em Cirurgia Plástica.

3. Da necessidade de se desconsiderar a validade da Notificação Inicial

Dos entendimentos Doutrinários:De qualquer forma, entendemos que o enunciado n.º 16, do Egrégio Tribunal Superior do Trabalho, ao considerar válida a notificação entregue simplesmente no endereço do reclamado, seja ele pessoa física ou jurídica, e transferindo a este o quase impossível ônus de provar que não a recebeu, além de ferir dispositivos legais da própria Consolidação Trabalhista, é absolutamente inconstitucional!(Publicada no Jornal Síntese n.º 8 - OUT/97, pág. 6)
Nei Breitman -

CITAÇÃO POSTAL NA JUSTIÇA DO TRABALHO. INCONSTITUCIONALIDADE DO ENUNCIADO N.º 16, DO EGRÉGIO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO-

Advogado no RSA notificação inicial, não foi enviada para o endereço do Empregador, qual seja, ............. - Vale do Tião, Gama - DF, CEP 71000-000,fls.40, nem mesmo para o endereço residencial do Recorrente.

Lembra-se, ter sido a Notificação Citatória recebida pela Sr.ª .................. (fls.22), empregada responsável pela limpeza diária do imóvel. A referida senhora, é semi-analfabeta e desta forma, não vislumbrou de prontidão a respeito da seriedade daquela correspondência, nem mesmo achou por bem, lamentavelmente, levar ao conhecimento da filha do Recorrente.

O Recorrente só teve ciência da Reclamação Trabalhista proposta em seu desfavor, quando aos ........ dias do mês de ......... do corrente ano de ........ ( dois dias antes de prolatada sentença de fls.26/31) sua primogênita encontrou aleatoriamente a correspondência notificatória "engavetada", e imediatamente avisou ao pai.

Vejam Honoráveis Julgadores, que se a correspondência citatória tivesse sido recebida pelo menos pela filha do Recorrente TALVEZ fosse plausível presumir o recebimento pelo recorrente.

Contudo, no caso em voga a notificação foi recebida na residência da filha deste e entregue diretamente à empregada da casa (fls.22), semi-analfabeta, não sendo lógica tal presunção.

Tão logo fora avisado por sua esposa, imediatamente o Recorrente acostou aos Autos Ofício (fls.25, aditamento às fls.33), informando da indevida notificação, e solicitando que contra ele não se operasse as conseqüências da revelia.

Em vão, conforme despacho de fls.36.

Desta feita, Eminentes Juízes, claro está, que assim que o Recorrente realmente teve ciência dos termos do processo, o mesmo compareceu aos Autos, e se não compareceu antes, foi em face da ausência de notificação.

Do entendimento jurisprudencial:

NOTIFICAÇÃO - É NULA SE IRREGULAR ACAREANDO A NULIDADE DO PROCESSO, INCLUSIVE A CITAÇÃO. *EMENTA:

Notificação. Irregularidade. Nulidade do processo.

Provado que a notificação inicial somente foi entregue ao Reclamado 13(treze) dias após a audiência, nulos são todos os atos processuais praticados, inclusive a citação.

Recurso provido. RO 0930/85, MM.2.ª JCJ/GO, AC. 1.ªT.1446/86, Rel. juiz João rosa, ver. e rel. desig. Juiz Pena Júnior, 1.ª Eg.TRT da 10.ª região, DJU 23.6.86, p.11133.

Da explícita má-fé do Reclamante :Certo é que o endereço descrito na inicial, como sendo da residência do Recorrente, teve fundo doloso, já que o Recorrido tinha inteira ciência do verdadeiro endereço residencial do Recorrente e também, claro do Sítio onde laborava.

Outro local onde poderia se realizar a Notificação, seria em seu gabinete, na Câmara dos Deputados.

Assim, patente está o padecimento do Direito se a respeitável Sentença ora recorrida, vier a se confirmar.

Da impossibilidade de comparecimento em audiência, ainda que tivesse sido o Recorrente devidamente notificado, por motivo de força maior:Conforme Relação de
Presentes, acostados a este Recurso Ordinário, tem-se que o Recorrente na data e na hora da Audiência de Conciliação, realizada aos ........ dias do mês de ............ de ........., participava de Sessão Legislativa, na Câmara dos Deputados.

Desta forma, pode-se concluir que o Recorrente mesmo se tivesse sido regularmente notificado, poderia não ter como comparecer, por forte razão, ou seja, estaria a
serviço da Câmara dos Deputados, exercendo as prerrogativas inerentes ao cargo que ocupa.

Claro, que se tivesse sido devidamente notificado, certamente justificaria sua ausência elidindo assim os efeitos da revelia e confissão ficta, reabrindo-se o prazo para apresentação de defesa.Do entendimento jurisprudencial:

Uma vez comprovado motivo relevante que impossibilita o comparecimento do Reclamado à Audiência na hora pré -determinada, decreta-se a elisão da revelia para o efeito de reabrir a instrução processual. (TRT.11.ªReg. Proc.RO.125/82, j.em 04.08.82, rel.juiz Marinho Bezerra)Já disse Anatole France :"A Lei é morta, o Magistrado é vivo.
É a grande vantagem que o Direito tem sobre a Lei".

Com Vossas Licenças, há que se citar o grande Mestre Valentin Carrion, pois que segundo ele, "os Tribunais Trabalhistas vem optando por condenar o Revel como se fosse ele um fora-da-lei, como se sua ausência indicasse realmente um desrespeito ao Magistrado, no entanto, a experiência vem mostrando que Revelia, não corresponde a rebeldia, e que por trás daquela está o pequeno-grande drama dos desencontros de horários ou de datas ou da citação que não chegou senão formalmente ao seu real destinatário, ou dos impedimentos que jamais poderão ser provados".(grifamos)

Ante ao exposto, REQUER :Em face de não ter sido observada disposição legal constante do artigo 411,VI do CPC, seja elidida a Revelia e conseqüentemente seja observada a disposição legal apresentada e via de conseqüência seja reaberta a audiência inicial para apresentação de defesa, bem como juntada de documentos e demais meios de prova em Direito admitidos sua defesa; ou,seja reconhecida a carência de ação do Recorrido , eis que na Petição Inicial consta o nome do proprietário da empresa rural homônima devidamente inscrita no CEI, com endereço próprio que não se confunde com a pessoa física de ...............

Desta forma, vislumbra-se que age de má-fé o Recorrido, eis que, por óbvio sabedor do endereço do real empregador.

Assim, mormente indubitável ilegitimidade passiva do Recorrente, seja extinto o processo, sem julgamento do mérito, conforme art. 267, VI do CPC; ou, em face da notificação ter sido enviada para endereço diverso do seu, e dessa forma não ter sido o Recorrente devidamente notificado, conforme restou provado, seja elidida a Revelia e conseqüentemente seja reaberta a audiência inicial para apresentação de defesa, bem como juntada de documentos e demais meios de prova em Direito admitidos sua defesa; ou ainda,em face do relevante motivo ensejar sua ausência na audiência de conciliação, qual seja, Sessão Extraordinária no Câmara dos Deputados, seja elidida a Revelia e conseqüentemente seja reaberta a audiência inicial para apresentação de defesa, bem como juntada de documentos e demais meios de prova em Direito admitidos.

No entanto, caso Vossas Excelências assim não entendam, passa a tecer considerações sobre o Mérito: Do ônus da prova:Configurando a "ficta confessio" presunção relativa, admite prova em contrário.Dos entendimentos Doutrinários:

"O processo é meio pelo qual se busca o bem da vida. Não pode o processo, que também é instrumento ético e leito carroçável ao direito material, isentar o autor do ônus da prova. Aliás, o próprio Código de Processo Civil, em seu artigo 333, inciso I, dita que o ônus da prova incumbe ao autor, quanto ao fato constitutivo do seu direito" (rectius, direito material).(Publicada no Jornal Síntese n.º 19 - MAI/98, pág. 10)Belmiro Pedro Welter-Promotor de Justiça no RSDa remuneração:

DO MÉRITO

Considerou a sentença, frente a ficta confessio, que o Reclamante percebia o salário mensal de R$.............

Data vênia, como já foi defendido, a presunção júris tantum da revelia não pode alçar os degraus da verdade real.

Assim, com todo respeito, a sentença não poderia se basear apenas nela, a ficta confessio, e ir contra todos os documentos acostados aos Autos pelo próprio Recorrido, os quais revelam uma percepção mensal de R$.............

Se ao Recorrente, incide as conseqüências da Revelia, ao Recorrido incide o mister do ônus probandi. Ou seja, o alegar por alegar sem provar de forma contundente e robusta o Direito nos Autos, é afrontar princípios elementares previstos no ordenamento jurídico pátrio.

Não obstante, através das declarações acostadas ao presente Recurso Ordinário, as quais os declarantes assumem toda responsabilidade cível e criminal, fossem elas inverídicas, tem-se claro que a percepção mensal do recorrido, realmente é o valor constante da CTPS de fls.08/09, qual seja, R$...........Das horas extras e domingos laborados:

Foi deferido o pagamento de horas extras e de domingos que alega o recorrido ter laborado. No entanto o r. decisum deixou de analisar de forma correta as provas dos autos, considerando tão somente a ficta confessio, e por conseguinte deixou de aplicar a devida norma legal, afrontando assim o direito pátrio.

Mais uma vez inexiste qualquer prova quanto ao alegado trabalho em sobre-jornada e aos domingos. Entrementes o Recorrido ter se desincumbido do ônus o qual lhe cabia no decurso da instrução processual, deve ser, data vênia, reformada a sentença, para excluir da condenação tais verbas. Do entendimento jurisprudencial:DAS HORAS EXTRAS:

Busca a reclamada reverter a condenação ao pagamento das horas extras informadas na inicial. Alega que a pena de confissão não tem somente o condão de tornar os fatos incontroversos, não afastando a necessidade de provar os elementos constitutivos do direito.

Com razão. A reclamante, na peça inicial, afirma que seu horário de trabalho previsto pelo dissídio é de 4 horas diárias, entretanto não junta aos autos os dissídios que constituiriam a base e o fundamento de seu direito. A pena de revelia e confissão não induz necessariamente ao automático julgamento de procedência do pedido, se este não foi objeto de qualquer comprovação. Não há a necessária presunção de veracidade dos fatos afirmados pelo autor na inicial, quando há falta de documentos necessários à sua instrução. Portanto, a falta de contestação da reclamada, não faz presumir-se verdadeira a alegação.

Dá-se provimento para absolver a ré do pagamento de horas extras e reflexos.ACÓRDÃO 00994.025/96-3 ROEMENTA: ÔNUS DA PROVA. A teor do art. 818, da CLT a prova das alegações incumbe à parte que as fizer.Apesar de genérico o conceito de ônus da prova no processo trabalhista, o CPC, em seu art. 333, subsidiariamente aplicável ao direito do trabalho, amplia este conceito quando dispõe que : O ônus da prova incumbe: I- ao autor, quanto ao fato constitutivo do seu direito; II- ao réu, quanto à existência de fato impeditivo, modificativo ou extintivo do direito do autor. Fato constitutivo é o fato capaz de produzir o direito que a parte pleiteia. O trabalho extraordinário é fato constitutivo e, portanto, ônus do reclamante prová-lo.ACÓRDÃO 01417.011/95-5 ROEMENTA: HORAS EXTRAS. TRABALHO AOS FINAIS-DE-SEMANA.

Incumbe à parte autora, por se tratar de fato constitutivo do direito pleiteado (art. 818 da CLT e 333, inciso I do CPC), a prova da prestação da jornada extraordinária, salvo quando o empregador está obrigado a manter registros horários. Insuficiência de prova para o convencimento no sentido de que efetivamente tenha havido prestação de labor extraordinário em fins-de-semana.ACÓRDÃO 00854.010/95-5 ROA demais há de se destacar que é humanamente impossível que uma pessoa trabalhe durante quase dois anos em jornada de 13:00 horas, sem repouso semanal remunerado ou qualquer outra folga, data vênia, impossível.Por outro lado tem-se que a r. sentença deferiu as horas extras na forma pleiteada na inicial, contudo não considerou a confissão do reclamante que aduziu em seu depoimento de fls. 23, que gozava de "dois intervalos de uma hora cada um para almoço e jantar", portanto a condenação deve ser reduzida para excluir do total de horas extras diárias mais uma hora de intervalo.Do deferimento de pagamento do aviso prévio, férias 99/00 de forma integral, mais 1/3 e 11/12 férias proporcionais mais 1/3 :

Não restou provado que o recorrido tenha laborado durante o aviso prévio, razão pela qual deve ser a r. sentença reformada para excluir da condenação o pagamento respectivo aviso.Mormente às férias pleiteadas, o recorrido enquanto laborava na fazenda do recorrente, chegou a ficar mais de 20 (vinte) dias, segundo ele, "resolvendo problemas de família", sem aparecer ou dar qualquer satisfação ao patrão de seu real paradeiro.Ainda mais, não juntou qualquer comprovação documentou aos autos, provando que não gozou férias, razão pela qual deve ser a r. sentença reformada para excluir da condenação o pagamento respectivo.FGTS Quanto ao FGTS tem-se que o recorrido recebeu o TRCT no código 01 (FLS.14),podendo portanto sacar todo o saldo existente.

No entanto, o não restou comprovado nos autos o valor recebido, e tendo a condenação feito referência ao pagamento de FGTS sobre todo o pacto laboral, verifica-se que haverá evidente enriquecimento sem causa do recorrido, pois receberá novamente as mesmas verbas.Nada impede que os extratos do FGTS sejam juntados aos autos na fase de execução e os valores efetivamente depositados e levantados sejam compensados com os apurados nos termos da condenação.Assim, requer seja a r. sentença reformada para limitar a condenação em FGTS, apenas aos valores não depositados.Liquidação:Em nenhum momento o recorrido provou perceber mensalmente a quantia deferida, qual seja R$............., mormente se faz de direito seja obedecido para fins de liquidação de sentença, o valor real do salário, qual seja, R$............

DOS PEDIDOS

Ante ao exposto, no MÉRITO, REQUER:

Seja reformada o r. decisum para considerar a remuneração mensal de R$ ...........;

Seja reformada o r. decisum para considerar improcedentes os pleitos de horas extras e domingos laborados. No entanto, se assim não entenderem Vossas Excelências, seja pelo menos reduzida a condenação para excluir do total de horas extras diárias mais uma hora de intervalo;

Seja reformada o r. decisum para considerar improcedentes os pleitos do aviso prévio, férias 99/00 de forma integral, mais 1/3 e 11/12 férias proporcionais mais 1/3;Seja reformada o r. decisum para limitar a condenação em FGTS, apenas aos valores não depositados;

Seja reformada o r. decisum para na liquidação de sentença, se considerar a remuneração mensal de R$.........;Pelo exposto, contando com os subsídios indispensáveis desses Ínclitos Juízes Julgadores, requer-se o conhecimento e provimento do presente Recurso Ordinário, para decretar a insubsistência da respeitável sentença, reformando-a nos termos acima delineados, ante aos evidentes equívocos dela constantes. Assim, apelando ao bom senso consubstanciado nas leis pátrias vigentes, notadamente na CONSTITUIÇÃO FEDERAL.

Nesses Termos,
Pede Deferimento.

[Local], [dia] de [mês] de [ano].

[Assinatura do Advogado]
[Número de Inscrição na OAB]


Veja mais modelos de documentos de: Petição - Trabalhista
Reclamação trabalhista de assédio sexual
Contestação à ação de cobrança de contribuição sindical rural
Pedido de indenização em face de acidente do trabalho
Reclamatória trabalhista visando ao pagamento de verbas salariais e remuneratórias
Ação de indenização por acidente do trabalho, interposta pelo Ministério Público como substituto
Ação declaratória - Contribuição sindical
Reclamatória trabalhista, na qual se pleiteia indenização por dispensa em período de estabilidade
Manifestação acerca da competência da Justiça do Trabalho para o julgamento de ação de indenizaçã
Reclamatória trabalhista, na qual se pleiteia equiparação salarial
Extinção do processo por improcedência dos pedidos
Contra-minuta de agravo de instrumento, sob alegação de que o recurso de revista interposto pelo
Ilegitimidade passiva de sucessão de empresas