Clique aqui para ir para a página inicial
 

Pular Links de Navegação
»
Home
Contato
Calculadoras
Consultoria
Conteúdo
Cotações
Perfil/Testes
Serviços
Parceiros
Mapa site
[HyperLink1]
Cadastrar
 
    
Você está em:   IGF Modelos de documentos Petição Civil e processo civil Pedido de indenização, ante a transmissão de informações desairosas e desanimadoras sobre a requerente

Petição - Civil e processo civil - Pedido de indenização, ante a transmissão de informações desairosas e desanimadoras sobre a requerente


 Total de: 15.244 modelos.

 
Pedido de indenização, ante a transmissão de informações desairosas e desanimadoras sobre a requerente, por parte de emissora de rádio.

 

EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA ..... VARA CÍVEL DA COMARCA DE ....., ESTADO DO .....

....., pessoa jurídica de direito privado, inscrita no CNPJ sob o n.º ....., com sede na Rua ....., n.º ....., Bairro ......, Cidade ....., Estado ....., CEP ....., representada neste ato por seu (sua) sócio(a) gerente Sr. (a). ....., brasileiro (a), (estado civil), profissional da área de ....., portador (a) do CIRG nº ..... e do CPF n.º ....., por intermédio de seu advogado (a) e bastante procurador (a) (procuração em anexo - doc. 01), com escritório profissional sito à Rua ....., nº ....., Bairro ....., Cidade ....., Estado ....., onde recebe notificações e intimações, vem mui respeitosamente à presença de Vossa Excelência propor

AÇÃO DE INDENIZAÇÃO

em face de

....., pessoa jurídica de direito privado, inscrita no CNPJ sob o n.º ....., com sede na Rua ....., n.º ....., Bairro ......, Cidade ....., Estado ....., CEP ....., representada neste ato por seu (sua) sócio(a) gerente Sr. (a). ....., brasileiro (a), (estado civil), profissional da área de ....., portador (a) do CIRG nº ..... e do CPF n.º ....., pelos motivos de fato e de direito a seguir aduzidos.

DOS FATOS

O representante legal da Requerente, através de um contato telefônico em data de .... de .... de ...., por volta de ....h, foi informado que no programa da emissora supra citada, estavam transmitindo em pleno ar, informações desairosas e desabonadoras sobre a empresa.

Imediatamente o proprietário da Requerente sintonizou o rádio na freqüência da Requerida, ocasião em que comprovou o que realmente estava acontecendo.

O proprietário da Requerida, procurou imediatamente entrar em contato com locutor da requerida, Sr. ...., solicitando esclarecimentos, pois os meios empregados pelo mesmo, colocavam a empresa por ele administrada em situação vexatória e constrangedora diante dos milhares de ouvintes da emissora.

Entretanto, não conseguiu obter qualquer explicação, uma vez que o funcionário da Requerida, passou a ofendê-lo, alegando que a matéria veiculada por aquele meio de comunicação, tinha sido de âmbito geral em relação às imobiliárias.

Todavia, essa alegação era mendaz, uma vez que a Requerente estava sendo grosseiramente nominada no programa da emissora, conforme comprova a declaração, em anexo.

Através de novo contato telefônico, o proprietário da Requerente dialogou com o Sr. ...., proprietário da Requerida, pedindo a retratação de que fora divulgado.

No entanto, o proprietária da Requerida ofendeu gravemente o representante da Requerente.

Na seqüência, o locutor deu continuidade à programação, difamando ainda mais a empresa, ora Requerente, em pleno ar.. Programação essa, que é ouvida em .... e toda região.

Tal procedimento, causou prejuízos imensuráveis ao requerente, eis que colocou em dúvida o seu desempenho profissional, constituindo portanto, grave lesão patrimonial.

A dignidade e a atuação da empresa ora Requerente, foram indiscutivelmente manchadas pelo procedimento da Requerida, razão pela qual deve esta responder pela má repercussão da matéria vinculada na imprensa, cuja retratação desde já se requer.

O poder de informar e noticiar os fatos é permitido pela Constituição Federal, mas devem ser observadas as cautelas legais, para evitar a prática de atos lesivos dos direitos dos cidadãos.

Assiste razão a Requerente, ao pleitear a provisão jurisdicional, pelos danos causados pela Requerida, tendo em vista os reflexos negativos que a transmissão causou para a Empresa, com imensuráveis prejuízos, pois inúmeras pessoas que pretendiam firmar contrato com a Requerente, ao ouvirem ao programa, automaticamente preferiram procurar outra empresa do mesmo ramo.

E não é demais frisar, que a rádio ora Requerida, tem grande audiência, atingindo até mesmo ramo as cidades vizinhas.

Por isso, está patente que a repercussão negativa sobre a pessoa do Requerente foi de forma imensurável e sem possibilidade de se calcular o montante do prejuízo advindo em virtude daquela transmissão radiofônica, prejuízo esse, tal moral como financeiro.

DO DIREITO

Assim era o entendimento da jurisprudência ainda na vigência do Código Civil de 1916:

"A Lei 4.117 de 27.08.62, que instituiu o Código Brasileiro de Comunicações, mais explícito (que o art. 1547, parágrafo único, do Código Civil), manda que se repare o dano moral (art. 81) e indica os critérios para a estimação dessa indenização (art. 84). Aliás, o simples fato dessa indenização poder ser fixada pelo juiz em importância maior ou menor prova que não se cuide de ressarcir um dano patrimonial determinado. Também aqui deve-se entender que, existindo difamação, injúria ou calúnia, o legislador presume a ocorrência de prejuízo para o ofendido, presunção que exime a vítima do ônus de provar o dano." (RJTJESP 1/22).

"Responsabilidade civil - Calúnia, injúria e difamação - imprudência no desempenho de função jornalística - Sentido manifestamente equívoco de frases contidas em reportagem de vespertino - Fatos não havidos como ilícitos penais - Obrigatoriedade, porém, de reparação do dano moral - Aplicação da Lei nº 5.250/67." (RJTJESP 27/173).

E ainda,

"Indenização - Responsabilidade Civil - Dano moral - Lei de Imprensa - Veiculação de notícia de forma sensacionalista, envolvendo o nome do autor - Configuração do abuso do direito de informar - arts. 1º, 12 e 49 da Lei Federal nº 5250 de 1967 - Verba devida - Recurso não provido." (TJSP - 2ª C. - Ap. - Rel. Urbano Ruiz-j 2.10.90 - RJTJESP 130/196).

Por tudo isso, a condenação que deve sofrer a Requerida no presente feito é calculada no seu grau máximo, levando-se em consideração que a amplitude de recuperação negativa prolatada por força daquela transmissão dolosa, capaz de denegrir cada vez mais a imagem da Requerida.

O entendimento da Professora Maria Helena Diniz, ao defender sua tese a respeito do "quantum" indenizatório, é o seguinte:

"Na reparação do dano moral o juiz determina, por eqüidade, levando em conta as circunstâncias de cada caso, o quantum da indenização devida, que deverá corresponder à lesão, e não ser equivalente, por ser possível tal equivalência."

Ademais, é essencial para a fixação do valor, a sua aproximação da realidade fática do caso concreto, levando em conta a extensão do dano e das condições sócio-econômicas da vítima e do ofensor.

É perfeitamente admissível, o pedido de indenização pelos danos causados à Requerente, em decorrência da manifestação ocorrida no programa da rádio ora Requerida, visto que a mesma acarretou graves abalos em seu conceito no mercado imobiliário, uma vez que restou cabalmente comprovada a ofensa ao direito à honra e a imagem.

DOS PEDIDOS

Face ao exposto, requer-se digne Vossa Excelência em acolher o presente pedido, para ao final condenar a Requerida no pagamento de uma indenização, equiparada ao grau máximo de dano de ordem econômica e moral sofridos pela Requerente, a ser arbitrado por esse V. Juízo, honorários advocatícios, custas processuais e demais cominações legais.

Requer que Vossa Excelência, determine que a Requerida proceda a retratação das ofensas proferidas, no mesmo horário em que foi veiculada a malfadada transmissão.
Requer a citação da Requerida, no endereço acima indicado, na pessoa de seu representante legal, para, querendo, poder no prazo legal, contestar a presente ação, sob pena de revelia e confissão quanto a matéria de fato.

Protesta provar o alegado, por todos os meios de prova em direito admitidos, notadamente pelo depoimento pessoal do representante legal da Requerida, que desde já fica requerido, sob pena de confidente, juntada posterior de outros que se fizerem necessários para a elucidação dos fatos, oitiva de testemunhas, cujo rol segue anexo, perícias e outros meios de provas que se fizerem necessários para a elucidação dos fatos.

Requer-se seja o presente distribuído por dependência aos autos nº ...., de Busca e Apreensão da .... Vara Cível de ....

Dá-se à causa o valor de R$ ......

Nesses Termos,
Pede Deferimento.

[Local], [dia] de [mês] de [ano].

[Assinatura do Advogado]
[Número de Inscrição na OAB]


Veja mais modelos de documentos de: Petição - Civil e processo civil
Contra-razões de apelação em ação de indenização por dano moral e material
Ação ordinária para limitação de dívida cobrada
Pedido de rescisão de compra e venda de veículo objeto de furto, cumulada com restituição do valo
Pedido de concessão de liminar para apresentação de documentos, tendo em vista a falta de respost
Apelação por parte do réu, o qual foi condenado, em primeira instância, a ressarcir o autor por d
Pedido de retificação de registro de imóvel
Contestação por parte de empresa de consórcio, alegando que a cláusula de negativa de devolução d
Alienação antecipada de bens de insolvência civil
Contestação à medida cautelar de demolição de prédio, alegando-se ilegitimidade passiva
Ação de cobrança decorrente de rescisão de contrato de representação comercial
Pedido de suspensão do processo de execução
Embargos à execução fiscal em representação comercial