Clique aqui para ir para a página inicial
 

Pular Links de Navegação
»
Home
Contato
Calculadoras
Consultoria
Conteúdo
Cotações
Perfil/Testes
Serviços
Parceiros
Mapa site
[HyperLink1]
Cadastrar
 
    
Assuntos

Total de artigos: 11132
    

 

 

Currículo (curriculum) - Dados falsos comprometem seu currículo  

Data: 10/12/2008

 
 
Dados incorretos no currículo, sejam eles mencionados por descuido ou intencionalmente, podem causar sérios problemas durante o processo seletivo. Para os selecionadores e para a própria empresa contratante, descobrir diferenças entre a realidade e o que estava escrito no documento é extremamente decepcionante, pois a primeira idéia é a de que o candidato tentou omitir deficiências ou exagerar nos atributos para forçar a contratação.

Além disso, certamente a realidade sobre a capacidade do profissional será comprovada nas outras etapas da seleção, ou mesmo no dia-a-dia do trabalho. Nessas duas situações, você precisará responder à pergunta "Você é realmente capaz de fazer tudo aquilo?". Portanto, não adianta mesmo inventar informações no currículo, e ao mesmo tempo é preciso muita atenção para que isso não aconteça de maneira acidental.

Em alguns currículos de usuários do Empregos.com.br, por exemplo, é possível encontrar, em média, 4 erros de preenchimento. Os campos em que mais ocorrem as confusões são os de cargo pretendido, salário, capacitação profissional e descrição de habilidades. Em sites de emprego, a decepção do selecionador com relação ao perfil real pode nem chegar a acontecer, porque o candidato pode nem chegar à fase da entrevista, devido ao fato do currículo se encaixar em buscas, comumente feitas pelas empresas, que não interessem ao candidato. Por exemplo, houve um caso no site de uma candidata que pretendia ser estagiária de Direito, para analisar processos jurídicos. No currículo, ela escolheu o cargo de Analista de Processos, que nada tem a ver com a área jurídica. Com isso, passou a receber convocações para vagas que nada tinham a ver com seus objetivos.

Veja aqui a lista de erros mais comuns encontrados nos currículos do site e fuja deles!

1. Dados pessoais
Para aumentar as chances de entrevistas, muitos candidatos alteram sua idade - ora aumentam, ora diminuem - em função das faixas etárias mais procuradas ou consideradas "ideais". Além de ser um erro grave, isso demonstra falta de bom senso. Outro problema ocorre quando o candidato indica que possui carro próprio, habilitação ou computador. Se o carro não for de seu uso exclusivo, esqueça, pois não poderá usá-lo no trabalho, principalmente em cargos de vendedor externo, por exemplo. Muitas empresas contratam pessoas para trabalhar em casa e para isso exigem que o candidato tenha computador, telefone, fax ou acesso à Internet. Se você não tiver essas "qualificações", jamais inclua isso no seu currículo.

2. Cargo pretendido
Deixe claro seu objetivo: cite o cargo e a respectiva área de atuação que pretende. Seja realista, não inclua nada que desconheça. É muito comum encontrar nos currículos referências a cargos que não condizem com as qualificações dos candidatos. Isso significa falta de conhecimento do nível hierárquico e das responsabilidades do cargo.

3. Salário
O currículo não deve servir para fechar um negócio, e sim para conduzi-lo à entrevista. Por isso, evite mencionar nos currículos de papel suas aspirações salariais, a menos que seja solicitado. No caso do cadastro do Empregos.com.br, os usuários possuem duas possibilidades: incluir o salário mínimo aceitável para trabalhar e o salário pretendido - aquele que almejam, porque esse é um dado que faz parte dos filtros de busca das empresas e agiliza a escolha. Assim, se você citar valores que não condizem com sua experiência ou com o cargo almejado, será prejudicado na seleção. Informe-se bem antes de preencher esse campo.

Um erro freqüente levantado por nossa equipe é a "manipulação" do salário mínimo aceitável. Por exemplo, um auxiliar administrativo coloca o mínimo aceitável no valor de R$ 500,00. Para as empresas, isso significa que ele aceitará trabalhar por esse valor mínimo, quando na verdade a real pretensão do salário mínimo seria de R$ 700,00. O candidato justifica que pretendia gerar a oportunidade de novas entrevistas, criando uma expectativa de negociação que pode não chegar a acontecer.

4. Formação acadêmica
Não diga que estudou em determinada universidade, que fez tal curso de extensão ou pós-graduação, se não for verdade. Transparência é uma qualidade valorizada por qualquer empresa. Evite colocar somente o nome do curso. Coloque o ano de início e de conclusão, se está cursando ou se já concluiu. Caso você tenha parado o curso, por exemplo, no terceiro ano de faculdade, indique que está incompleto. Muitas empresas aceitam profissionais que possuem curso incompleto. Durante a entrevista você terá oportunidade de explicar as razões que o levaram a não concluir o curso.

5. Idiomas
Esse é um dos itens que mais causa polêmica nos currículos. Não indique que possui inglês fluente, se na verdade sua fluência está mais para o nível intermediário. As empresas geralmente aplicam testes para avaliar a fluência do idioma exigido, portanto, seja honesto. Melhor dizer que você possui inglês básico e que tem planos de aperfeiçoar do que ficar mudo diante de um diálogo no idioma estrangeiro. Na hora da avaliação, não há como enganar.

6. Cursos
Nada de colocar cursos relâmpagos, principalmente se não acrescentaram nada à sua carreira. Inclua seminários, cursos, workshops ou palestras que fizeram você desenvolver alguma habilidade interessante para sua área de atuação ou de importância para o cargo almejado.

7. Experiência profissional, habilidades e qualificações
Esse campo, destinado a apresentar seus conhecimentos - bem como o nível e o tempo de experiência em cada um deles - deve ter informações precisas. Dominar uma ferramenta de informática, por exemplo, é muito diferente de ter conhecimentos superficiais. Não invente, nem tente dar "brilho" à habilidades, qualificações ou experiência profissional. Seja coerente, inclua informações que poderão ser confirmadas posteriormente sem surpresas. Para aumentar as chances, muitos candidatos incluem funções que nunca exerceram. Não faça isso!

8. Capacitação profissional
Esse é o espaço reservado para você descrever seu histórico profissional e é o que apresenta mais erros e deslizes dos candidatos. Uso inadequado de termos, expressões e jargões, palavras dúbias e exagero nas habilidades são alguns dos problemas que podem acabar com suas chances de entrevista. Se você mencionar, por exemplo, que foi responsável pela coordenação de uma equipe em determinado projeto, quando na verdade apenas acompanhou o desenvolvimento de algumas etapas, você estará mentindo! Você pode valorizar sua capacitação profissional, escolhendo as palavras certas que descrevam o que de fato realizou profissionalmente. Para isso, utilize palavras-chave e expressões que valorizem sua carreira.


 
Referência: carreiras.empregos.com.br
Autor: Izabel Cristina
Aprenda mais !!!
Abaixo colocamos mais algumas dicas :

Assunto:Perguntas:
SaúdePlanos de Saúde: O que é prazo de carência?
AposentadoriaPrevidência Privada : Até quando posso fazer a opção pela tabela regressiva dos planos/reservas anteriores a janeiro de 2005?
Modelos de documentosModelo básico de distrato social de sociedade limitada
Investimentos / FundosRenda fixa: como o investidor pode perder dinheiro com juros mais altos
ImóveisA estrutura deve suportar forças verticais e laterais
Finanças pessoaisQuer antecipar o abono ou a restituição do IR? Adote cuidados e evite mais dívidas
Carro / VeículoEconomia de 20% no preço da gasolina pode gerar despesa de até R$ 5 mil
Carreira / EmpregoMotivação: Como funcionário, você acha possível ficar motivado o tempo todo?
Finanças pessoaisCom planejamento, não será preciso contar com a ajuda dos astros para manter as finanças em dia
Carreira / EmpregoEstudo mostra que estresse no trabalho pode causar depressão