Clique aqui para ir para a página inicial
 

Pular Links de Navegação
»
Home
Contato
Calculadoras
Consultoria
Conteúdo
Cotações
Perfil/Testes
Serviços
Parceiros
Mapa site
[HyperLink1]
Cadastrar
 
    
  Clique na letra:  A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z
  

Guerra Fiscal

Termo que se popularizou nos anos 90 designando as disputas travadas entre governos, nos níveis estadual e municipal, pelos investimentos de grandes empresas. O Brasil tem passado por um processo de industrialização fora dos centros tradicionais. Muitas empresas buscam mão-de-obra mais barata e menos sindicalizada, custos mais baixos e um ambiente menos tumultuado do que o das principais metrópoles. Percebendo essa tendência, Estados e municípios passaram a oferecer generosos pacotes de incentivos, incluindo isenções de impostos, doação de terrenos, empréstimos e subsídios. A reação de governos de regiões concorrentes por esses investimentos tem sido de aumentar as ofertas dadas às empresas, como num leilão. A lógica por trás da guerra fiscal está nas perspectivas de desenvolvimento econômico que a instalação de uma grande empresa propicia, trazendo empregos, melhores salários e ampliando a base para a arrecadação de impostos. Uma fábrica de automóveis, por exemplo, traz, além dos investimentos diretos da empresa, uma série de empresas associadas, fornecedoras de autopeças e serviços. Assim, o impacto na economia local é muito grande. Mas o erro de muitos governos locais foi o de conceder benefícios demais, que demorarão muito para ser compensados pelo efeito da instalação das empresas. Isso sem contar as conseqüências nas contas públicas, já que o compromisso dos governantes normalmente envolve muitos gastos imediatos, como a construção da infra-estrutura necessária, concessão de créditos e desapropriação de terrenos. O Estado de São Paulo, o mais afetado pela saída de empresas ou pelo não-ingresso de novas empresas devido à concessão de vantagens por outros Estados, tem reagido à guerra fiscal. Nos últimos anos, o Estado tem usado sobretaxas de ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) dentro de suas fronteiras para cancelar os benefícios especiais de que essas gozam em outras unidades da Federação e também tem contestado judicialmente os pacotes caso a caso. O problema tende a se estender na Justiça caso o governo federal não consiga aprovar uma legislação tributária menos conflitante.

Aprenda mais !!!
Abaixo colocamos mais alguns ítens do glossário:

Título:Resposta:
Quota SubordinadaNos fundos de recebíveis designa a quota que se su...
Controle de capitais estrangeiros no paísTratamento de informações com a conseqüente cobran...
Laranjas São as pessoas que emprestam seu nome para os espe...
Previdência Privada FechadaUma das opções de previdência complementar existen...
PIB nominalProdução de bens e serviços avaliada a preços corr...
Transação em blocoLeilão de grande lote de ações nas bolsas de valor...
Ciclo operacional Período que vai da compra da mercadoria até sua ve...
Balança de transações correntes Diferença entre as entradas e as saídas de moedas ...
Instrumentos negociáveisDocumentos perfeitamente negociáveis, como cheques...
Subscrição do tipo puro ou firme – straightA instituição financeira assume amplamente o risco...