Clique aqui para ir para a página inicial
 

Pular Links de Navegação
»
Home
Contato
Calculadoras
Consultoria
Conteúdo
Cotações
Perfil/Testes
Serviços
Parceiros
Mapa site
[HyperLink1]
Cadastrar
 
    
Assuntos

Total de artigos: 11132
    

 

 

Finanças pessoais - Dinheiro eleva satisfação pessoal, mas não aumenta felicidade, diz estudo 

Data: 12/03/2011

 
 

O dinheiro pode trazer satisfação sem, no entanto, trazer felicidade. A conclusão é de um estudo de professores da Universidade de Princeton, nos Estados Unidos.

Baseado em 450 mil perguntas respondidas por cerca de mil norte-americanos escolhidos aleatoriamente, o estudo sugere que, enquanto a satisfação com as próprias vidas cresce firmemente quanto maior a renda anual do indivíduo, a qualidade das experiências diárias dos respondentes não melhora acompanhando o nível de renda.

“Descobrimos que o bem-estar emocional e a avaliação da vida (satisfação) têm diferentes correlações nas circunstâncias da vida das pessoas”, afirmam os autores.

Pelo estudo, o bem-estar emocional se refere à qualidade emocional das experiências diárias dos indivíduos e foi questionado aos entrevistados pelo tempo pelo qual se mantiveram em estado emocional positivo ou negativo no dia anterior. Já a avaliação do nível de satisfação se refere ao pensamento da pessoa sobre sua vida e foi medida em uma escala de zero a dez.

Melhor a renda, maior a satisfação
Quando a renda era menor que US$ 75 mil, os respondentes reportavam decréscimo na felicidade e aumento da tristeza e estresse. O dado sugere que o sofrimento por infortúnios, incluindo doenças, divórcio e solidão aumenta com a pobreza.

“Concluímos que a falta de dinheiro traz tanto miséria emocional quanto baixa satisfação. Acima de US$ 75 mil, o aumento na renda não é o caminho para mais experiências de felicidade, nem para o alívio da infelicidade ou estresse, embora a renda mais alta aumente a avaliação de satisfação dos indivíduos com suas vidas”.

O estudo não implica que a melhoria financeira não amplia a qualidade de vida, mas sugere que, acima de certo nível de renda, o bem-estar emocional das pessoas está condicionado a outros fatores, como temperamento e circunstâncias de vida.



 
Referência: InfoMoney
Autor: Evelin Ribeiro
Aprenda mais !!!
Abaixo colocamos mais algumas dicas :

Assunto:Perguntas:
MotivaçãoA Elegância do Comportamento
LeisNovo Código Civil ? Lei nº 10.406 de 10/1/2002 (Parte Geral) »»» Livro III - Dos Fatos Jurídicos »»» Título II - Dos Atos Jurídicos Lícitos
Negócios / EmpreendedorismoTécnicas visam melhorar aprendizagem e qualidade no trabalho
Ações / Bolsa de ValoresCortar as perdas
Carreira / EmpregoRir é o melhor remédio: que tal investir no bom humor da equipe?
Carreira / EmpregoComo lidar com chefes mais jovens e obstinados
ConsumidorO nome do consumidor pode ser enviado à Serasa por falta de pagamento da conta de telefone?
Cartão de créditoCartão de crédito não é educador financeiro, afirma especialista
Carreira / EmpregoProfissional: para ter mais autonomia no uso da internet, conheça alguns termos!
SegurosSeguro do carro