Clique aqui para ir para a página inicial
 

Pular Links de Navegação
»
Home
Contato
Calculadoras
Consultoria
Conteúdo
Cotações
Perfil/Testes
Serviços
Parceiros
Mapa site
[HyperLink1]
Cadastrar
 
    
Assuntos

Total de artigos: 11132
    

 

 

Vendas - Simples ações impulsionam vendas 

Data: 30/09/2008

 
 

Detalhes como manter o cadastro de clientes atualizado e bom atendimento fazem a diferença no negócio

Para se ter sucesso com as vendas é preciso investir. A boa notícia para os micro e pequenos empresários é que esse investimento não precisa vir acompanhado de cifras astronômicas. A adoção de simples ações no ponto-de-venda já pode fazer com que o lucro do empreendimento aumente ainda mais.

De acordo com o consultor de marketing do Sebrae-SP, Wlamir Bello, todo material promocional ou ação usados para incrementar o estabelecimento podem ser considerados merchandising.

O merchandising influencia e motiva a decisão de compra, o que é bastante interessante, já que grande parcela dos consumidores decidem o que comprar quando já estão dentro do estabelecimento. Bello afirma que um dos primeiros passos a serem definidos é quais ações podem ou não ser usadas, o que melhor se encaixa ao tipo de negócio.

O ponto-de-venda tem de comunicar as estratégias de marketing, seja na vitrine, por meio de ofertas ou por outras ações , da maneira que a criatividade ou financeiro permitirem, afirma o superintendente da Associação ECR Brasil, Claudio Czapski

Segundo ele, muitas ações estão baseadas mais na atitude do empreendedor. Isso significa preocupação com a qualidade do relacionamento que será desenvolvido com os clientes.

O empresário deve questionar-se constantemente se a maneira como age permite que o consumidor volte para uma segunda compra, diz Czapski.

Para ele, os micro e pequenos empresários têm de saber aproveitar a grande proximidade que conseguem estabelecer na relação com os clientes. Para as grandes empresas essa relação tão direta é bem mais difícil.

O que fazer para cativar cada vez mais a clientela depende do quanto o empresário conhece o seu público. E, para isso, é preciso traçar o perfil do consumidor. A melhor dica é conhecer as pessoas que compram os seus produtos e, a partir daí, focar as ações de acordo com os grupos, diz.

Outra questão importante é a disposição dos produtos dentro da loja. Por oferecer uma quantidade menor de produtos, as MPEs têm de saber como optar pela melhor exposição dos itens, ressalta.

Fazendo a diferença

A vitrine é o primeiro contato do cliente com a loja. A vitrine funciona como isca, como se fosse um outdoor do estabelecimento, diz Bello.

No entanto, é fundamental saber como preenchê-la, pois, de acordo com o especialista, o poder de atração da vitrine dura entre 30 segundos a no máximo um minuto. Por é isso é preciso facilitar a visão do cliente de fora para dentro, com a ampliação de vitrines e portas para que a loja se torne a mais convidativa possível.

O tipo de venda que o estabelecimento permite também pode impulsionar as vendas. De acordo com Bello, há estabelecimentos que permitem o auto-serviço, como no caso das farmácias, em que o próprio cliente escolhe e pega os produtos expostos que mais lhe agradam.

Há mais chances de se realizar uma compra com esse modelo. O consumidor se sente com mais liberdade para ver, tocar os produtos e decidir ou não se irá levá-lo.

Outro tipo de venda é a assistida que conta com o auxílio do vendedor, que precisa estar bem treinado e atento para as necessidades dos clientes. São ações simples que estão ao alcance de todos os empresários e não demandam muito investimento, garante. Manter sempre vivo o contato com a clientela é outro exemplo: Somente 37% das MPEs têm cadastro atualizado dos consumidores.

Cursos para profissionais

A diretora executiva do Popai Brasil, entidade voltada para o desenvolvimento da atividade do merchandising do ponto-de-venda, Luciana Barreto já ministrou algumas edições do curso As melhores práticas do merchandising, no qual apresenta diversas novidades do setor, tipos de materiais, planejamento e logística dentro de um negócio.

Durante o curso ela também dá dicas de como incrementar o negócio. Luciana explica que geralmente pesquisas para detalhar o público consumidor exigem um alto investimento. Mas o empresário pode começar a observar o consumidor durante o momentos de compra, propriamente dito.

Outra lição importante é aprender a observar a loja como um todo para assim compreender melhor o seu funcionamento. Há um ditado que diz quando olho para a prateleira da minha loja, ela fala comigo, diz Luciana.

Contato ativo

Há quatro anos, Anselmo Cinatti é proprietário da loja de roupas Blue Moana, localizada na região da Pompéia, zona oeste de São Paulo. Aqui (região)não é um ponto comercial, a loja é de bairro, então as pessoas descobrem aos poucos.

Uma das ações mais usadas por Cinatti para manter a relação com a clientela é feita por telefone. Em datas comemorativas a loja sempre realiza promoções e também sorteia prêmios. No entanto, antes da divulgação dessas ações, é feito um contato telefônico. ¿Os primeiros a saber serão sempre nossos clientes.

Segundo Cinatti, a ação simples usada na loja surte resultados bastante satisfatórios, que logo se propaga com o boca-a-boca. A principal ferramenta de marketing é o bom atendimento. E depois se transforma num boca-a-boca, porque as pessoas comentam e é ótimo para a nossa proposta, uma loja de bairro.



 
Referência: sebrae-sc.com
Aprenda mais !!!
Abaixo colocamos mais algumas dicas :

Assunto:Perguntas:
Negócios / EmpreendedorismoVantagens de criar uma grande empresa
AluguelInterestadual: tipo de fiador garante menos gastos no aluguel de imóvel
Investimentos / FundosFaça o seu dinheiro render: saiba como investir com poucos recursos
Impostos / TributosEletropaulo - Por que é cobrado o ICMS e quem decide sobre a sua aplicação?
LeisNovo Código Civil ? Lei nº 10.406 de 10/1/2002 (Parte Especial) »»» Livro Complementar »»» Das Disposições Finais e Transitórias
UtilidadesMultas: Infrações e pontos na carteira
Investimentos / FundosAnálise gráfica é para investidor de varejo, diz analista
Entrevista de empregoComo responder as perguntas na entrevista
Cartão de créditoCartões de crédito podem ser fontes de problemas
Finanças pessoaisFalta de diálogo sobre dinheiro revela imaturidade do casal