Clique aqui para ir para a página inicial
 

Pular Links de Navegação
»
Home
Contato
Calculadoras
Consultoria
Conteúdo
Cotações
Perfil/Testes
Serviços
Parceiros
Mapa site
[HyperLink1]
Cadastrar
 
    
Assuntos

Total de artigos: 11132
    

 

 

Saúde - Parar de fumar melhora bem-estar financeiro e garante realização de sonhos 

Data: 14/07/2008

 
 
A chegada do ano novo incentiva grande parte das pessoas a querer transformar diversos aspectos em sua vida. Promessas de mudanças não faltam, e uma das mais famosas delas é a de parar de fumar. No entanto, com o passar do tempo, essa intenção acaba literalmente virando fumaça e os cigarros no cinzeiro continuam se acumulando tanto ou mais do que antes.

Essa situação tornou-se tão notória que chegou a ser alvo de pesquisa científica. De acordo com estudo realizado pelo psicólogo britânico Richard Wiseman, parar de fumar foi a resolução de início de ano que os participantes menos conseguiram cumprir: apenas 24% dos três mil participantes obtiveram sucesso.

Se você se identificou com esse grupo, pode encontrar um motivo mais concreto para finalmente abandonar o tabagismo: seu bem-estar financeiro. Segundo o consultor Reinaldo Domingos, além dos comprovados danos à saúde, o cigarro causa graves problemas ao orçamento. O prejuízo pode equivaler ao valor de um imóvel, no decorrer dos anos. "Se pegarmos um maço de cigarro a R$ 2,75 e capitalizarmos a juros de 1% por 30 anos, teremos aproximadamente R$ 288 mil de provável economia, não apenas para o bolso, mas também para a saúde", afirmou.

Pequenas quantias garantem realização de metas
Ainda de acordo com Domingos, poupar pequenas quantias, como as que seriam destinadas ao fumo, pode ajudar a realizar metas e objetivos no longo prazo. "Às vezes, a pessoa não consegue comprar uma casa. Vou dar um exemplo, tem casa que custa R$ 100 mil. Fumando por 20, 30 anos, a pessoa pode comprar duas ou três casas desse valor".

As projeções do consultor podem, à primeira vista, impressionar, principalmente se você não costuma contabilizar suas despesas diárias com cigarros. Porém, ao colocá-las no papel, ou melhor, na planilha de orçamento mensal, vai perceber o quanto gasta para manter o vício - e o quanto poderia poupar, caso o largasse. Tomando como base os R$ 2,75 por maço estimados pelo consultor, esse custo é de R$ 82,50, em apenas um mês, para quem consome um maço por dia.

Esse gasto chega a mais de R$ 10 mil, para quem é fumante há mais de dez anos, conforme a tabela abaixo, que traz ainda a evolução das despesas com um e dois maços ao dia, considerando outros períodos:

 
  Um maço Dois maços
Um ano R$ 1.004 R$ 2.007
Cinco anos R$ 5.019 R$ 10.038
Dez anos R$ 10.038 R$ 20.075

 
Fonte: Infomoney

As despesas para manter o vício podem subir ainda mais, caso a pessoa precise custear tratamento médico ou medicamentos, por contrair alguma doença relacionada ao tabagismo.

Para aqueles que, apesar dos benefícios, não conseguem abandonar o cigarro, devido à dependência, o Ministério da Saúde oferece um programa de apoio, que inclui terapia de grupo, em uma etapa inicial, e distribuição de medicação - adesivos para o corpo, goma de mascar e o remédio bupropiona, aos casos mais graves.

Instituído em 2002, o programa é atualmente integrado por 380 unidades de atendimento em todo o país. Os interessados pelo tratamento podem ligar para Disque Saúde do SUS (Sistema Único de Saúde): 0800 611997.

Restrições à propaganda
Além de criar alternativas gratuitas para tratamento dos dependentes, o governo age em outras frentes para combater o fumo. Uma delas diz respeito à restrição à publicidade do tabaco, que passou a ser limitada à parte interna dos locais de venda e ficou proibida na mídia, como a televisão. Para o pesquisador da Unifesp, Elisaldo Carlini, essa proibição, estabelecida há mais de seis anos, foi o principal fator para a queda no consumo de cigarros entre jovens. Conforme estudo realizado por ele e outros quatro docentes, o índice de fumantes adolescentes, que havia passado de 22,4% em 1987 para 32,7% dez anos depois, voltou a cair, para 21,7%, em 2005.

"A propaganda do cigarro era bastante insinuante, ligada ao sucesso pessoal e fatores como status econômico. Isso influenciava, principalmente, a camada jovem", explica.

O número caiu tanto entre meninos como entre meninas. Nos primeiros, a redução foi de 36% (1997) para 21,9%. Na outra faixa, de 31,9% para 21,3%. Entre os pré-adolescentes (12 a 14 anos), também houve diminuição: de 13,8% para 8% no mesmo período.

Já nas faixas etárias superiores, o levantamento, realizado nas 108 maiores cidades do País, houve aumento no número de fumantes do sexo feminino e queda, no masculino. Em 2001, o índice de homens que fumavam era de 61,4% e o de mulheres, 45,4%. Quatro anos depois, os percentuais passaram a 60,7% contra 46,8%, respectivamente.

"Seria necessário um diagnóstico para saber o porquê desse fenômeno, mas não há vontade política para isso", afirmou Carlini à Agência Brasil, na época da divulgação.


 
Referência: -
Aprenda mais !!!
Abaixo colocamos mais algumas dicas :

Assunto:Perguntas:
Defenda-seSegurado: Guia de Orientação e Defesa: Seguro de pessoas
CoachingCoaching não é terapia! Saiba mais sobre o assunto
Negócios / EmpreendedorismoO empreendedor em Recursos Humanos conta com uma missão
Defenda-seJuizado Criminal: Qual o procedimento ?
Salário e negociação na carreiraDicas para aumentar seu salário
Carro / VeículoPostura correta do motorista ajuda a evitar cansaço e acidentes no trânsito
Modelos de documentosAviso Prévio de Férias
Carreira / EmpregoUniversitário: aprenda a dosar ansiedade de ganhar experiência com estágio
LeisNovo Código Civil ? Lei nº 10.406 de 10/1/2002 (Parte Especial) »»» Livro II - Do Direito de Empresa »»» Título II - Da Sociedade (I)
Carreira / EmpregoProfissional: sete pontos importantes sobre sucesso!