Clique aqui para ir para a página inicial
 

Pular Links de Navegação
»
Home
Contato
Calculadoras
Consultoria
Conteúdo
Cotações
Perfil/Testes
Serviços
Parceiros
Mapa site
[HyperLink1]
Cadastrar
 
    
Assuntos

Total de artigos: 11132
    

 

 

Investimentos / Fundos - Passo a passo: o que se deve saber sobre um fundo de investimentos? 

Data: 27/12/2007

 
 

Para aqueles que estão iniciando no universo do mercado financeiro, uma das melhores opções são os fundos de investimento. Em termos de montante, atualmente este é o maior mercado do Brasil: ao final de outubro, o patrimônio líquido estava próximo a R$ 1,1 trilhão, bem superior à carteira da poupança na mesma época.

Antes de ingressar neste mercado em plena expansão, não basta apenas escolher uma instituição administradora, um determinado tipo de fundo e aplicar seus recursos. É preciso que o investidor avalie e conheça os principais fatores que envolvem os fundos.

Até mesmo dentre os tipos de fundos - ações, renda fixa, multimercados, DI, cambiais, previdência, entre outros - existem diferenças de estratégia e gestão, com fundos mais ou menos expostos ao risco, fator que precisa estar claro na cabeça do investidor. Conhecer a filosofia do gestor e a composição da carteira é fundamental.

Primeiro passo: conhecer seu investimento a fundo
Depois de tomado o primeiro passo, que é a escolha da instituição de sua confiança, é preciso procurar pela orientação de um especialista. Além de mostrar as melhores opções que se enquadram dentro de seu perfil de risco, uma conversa com o gestor deixa o investidor familiarizado com a estratégia de gestão dos recursos.

A filosofia de gestão do fundo deve estar expressa na composição de sua carteira, ou seja, nos ativos no qual o fundo distribui seu patrimônio líquido. Avaliando o portfólio do fundo, é possível detectar se a estratégia de investimento exposta pelo gestor está condizente com a composição de seu patrimônio.

Além das palavras do gestor, o regulamento do fundo traz estas informações. Lá também devem constar todos os termos que se referem ao investimento, como valor inicial e adicional de aplicação, período mínimo de permanência, taxa administrativa, entre outros.

Além do risco, fundo deve se adequar à necessidade do investidor
O fundo deve se encaixar não só no perfil de risco, mas também às necessidades do investidor. Depois de dar a "entrada" no fundo com a aplicação inicial, os aportes adicionais e o tempo mínimo de permanência precisam estar em linha com o orçamento do investidor e a necessidade de utilização dos recursos aplicados.

O período de permanência no fundo traz a deixa para outro ponto ao qual o investidor deve estar amplamente atento: a tributação. De maneira geral, a alíquota do Imposto de Renda incidente sobre o fundo decresce à medida que cresce o período de permanência na aplicação. É preciso que o investidor avalie os impactos da tributação sobre seus retornos.

Rentabilidade e taxa de administração
Além da tributação, outro fator determinante na rentabilidade do fundo é a taxa de administração cobrada. Não basta o investidor confiar na gestora, deve-se conferir se a taxa praticada por ela está dentro do cobrado pelas demais. Isto porque, dado que a taxa de administração nada mais é do que um percentual cobrado sobre a rentabilidade do fundo, taxas maiores resultarão em menores ganhos finais.

Os investidores costumam dar bastante relevância para a rentabilidade passada do fundo. De fato, é possível conferir como o retorno do fundo se comportou, em diferentes bases temporais, em relação aos benchmarks. Por exemplo, os ganhos dos fundos de ações podem ser comparados ao retorno apresentado por índices de ações como o Ibovespa e o IBrX-100. Na nas aplicações de renda fixa, a comparação mais comum é com o CDI.

Apesar de a rentabilidade passada ser importante para evidenciar como o fundo se comportou diante dos demais parâmetros do mercado, é preciso ter em mente que nada garante que, no futuro, o retorno se dará em igual ou maior magnitude. Os fatores que já foram apresentados, como composição da carteira, conhecimento da filosofia do gestor, capacidade da equipe, tributação e taxa administrativa podem servir de parâmetro para que o investidor trace seus objetivos de retorno na aplicação.



 
Referência: Uol Economia
Autor: Infopessoal
Aprenda mais !!!
Abaixo colocamos mais algumas dicas :

Assunto:Perguntas:
SaúdeQuer contratar planos odontológicos? Veja custos e direitos
Ações / Bolsa de ValoresDocumentos
ConsumidorConfira dicas para evitar problemas com as compras do Dia das Mães
Carreira / EmpregoReter talentos: questão de estratégia
AposentadoriaConfira cinco razões para continuar na ativa após a aposentadoria
AposentadoriaPrevidência Social - Quais são os requisitos da aposentadoria por tempo de contribuição - proporcional ou integral?
Investimentos / FundosA importância da diversificação dos seus investimentos
Finanças pessoaisQuando o seu orçamento mais parece gangorra, planejar é a saída
Investimentos / FundosComo investir: conheça as opções e aprenda a multiplicar o seu dinheiro
Finanças pessoaisEducação financeira e o uso consciente do dinheiro