Clique aqui para ir para a página inicial
 

Pular Links de Navegação
»
Home
Contato
Calculadoras
Consultoria
Conteúdo
Cotações
Perfil/Testes
Serviços
Parceiros
Mapa site
[HyperLink1]
Cadastrar
 
    
Assuntos

Total de artigos: 11132
    

 

 

Economizar / Poupar - Pequenos cuidados ajudam a aumentar a vida útil dos pneus e economizar combustível  

Data: 20/06/2007

 
 

A Michelin recomenda que, antes de pegar a estrada, todo veículo passe por uma revisão cuidadosa dos pneus. Pequenos cuidados - como avaliar o desgaste da banda de rodagem, verificar a pressão dos pneus e checar alinhamento e balanceamento - são fundamentais para garantir a segurança do veículo durante uma viagem. Algumas medidas podem ser colocadas em prática pelos próprios motoristas.

Calibragem - O aumento considerável de peso sobre as rodas do veículo exige calibragem específica, a fim de assegurar a estabilidade, reduzir o risco de corte nos pneus ao passar em buracos e, sobretudo, garantir a integridade da estrutura interna. Somente com a calibragem correta os pneus podem suportar a carga e a velocidade máximas pré-estabelecidas no projeto do automóvel.

Mais que isso, a calibragem ideal permite aos pneus uma menor freqüência de flexões durante a rodagem, consumindo menos energia mecânica do motor. Para o consumidor, isso se traduz em economia, já que um carro que circula com a calibragem dos pneus defasada em 20% consome aproximadamente 2% a mais de combustível. Para o meio ambiente, a conseqüência é a menor emissão de monóxido de carbono, o que contribui para reduzir a poluição do ar.

De acordo com o departamento técnico da Michelin no Brasil, o ideal é calibrar os pneus no máximo a cada 15 dias, sempre quando estiverem frios, seguindo a pressão recomendada pelo fabricante do veículo. Em caso de perda de pressão antes desse período, é aconselhável que o proprietário procure um revendedor Michelin autorizado para verificação e correção da causa da perda de ar. « Isso pode ser sinal de que há um ponto de fuga de ar, que pode ser provocado por um furo, deformação na roda ou mesmo vazamento na região da válvula », esclarece Flavio Santana, gerente de Marketing Produto para Pneus de Passeio e Caminhonete da Michelin no Brasil.

Desgaste - Outro ponto importante a ser observado em um pneu é a forma de desgaste. Se acontecer de forma irregular, resulta em perda de aderência e afeta a estabilidade do veículo, que fica puxando para um dos lados. Uma banda de rodagem deformada pode indicar ainda problemas na suspensão, amortecedores ou alinhamento. « Uma forma de evitar esses danos é fazer regularmente o balanceamento e o alinhamento das rodas », diz Santana.

Para analisar o desgaste dos pneus, o motorista deve observar a saliência existente no fundo dos sulcos. Se estiver nivelada com a banda de rodagem, significa que chegou a hora da troca. Segundo o Código Nacional de Trânsito, os sulcos devem ter a profundidade mínima de 1,6 mm. A Michelin, entretanto, recomenda que a troca seja feita antes desse ponto. « Sobretudo em períodos de chuva, quando as pistas ficam freqüentemente cobertas por grandes bolsões de água, aumentando o risco de aquaplanagem », recomenda.

Rodízio - O rodízio é uma boa forma de aproveitar os pneus do carro, pois permite que tenham consumo equivalente e durem mais. Mas é importante respeitar o limite de desgaste. A Michelin recomenda que a troca de posição entre os quatro pneus do veículo seja feita a cada 7 mil quilômetros rodados. Um mesmo eixo pede componentes de mesma marca e modelo, pois o comportamento varia em função do desenho da banda de rodagem.

A maioria dos fabricantes de veículos recomenda o rodízio da dianteira para a traseira, e vice-versa, sem inverter o sentido de rotação do pneu. Isto visa a evitar que pneus que tenham sentido de rotação determinado sejam montados de forma invertida.

Se os pneus não tiverem sentido de rotação determinado, porém, a recomendação da Michelin é fazer o rodízio em forma de "x". Ou seja, o pneu dianteiro esquerdo vai passar a ser o pneu traseiro direito, o pneu dianteiro direito vai passar a ser o pneu traseiro esquerdo, e vice-versa. Assim, se obtém melhor rendimento do conjunto. « Não há nenhum problema técnico ou restrição em inverter o sentido de rotação, desde que esta informação não esteja determinada na banda de rodagem », destaca o gerente.

Troca - Quando o nível de desgaste chega ao limite, os pneus devem ser substituídos por outros de dimensões iguais ou equivalentes às homologadas pelo fabricante do veículo - respeitando índices de carga e performance igual ou superior. Na troca de apenas dois pneus, estes devem ser instalados no eixo traseiro. Isso garante ao carro melhor resposta em curvas fechadas, sobretudo sobre pisos molhados, equilíbrio em freadas bruscas e máxima segurança no eixo em que o condutor não tem controle direcional.

Pneus com desenhos de banda de rodagem diferentes não devem ser montados no mesmo eixo para evitar problemas na geometria e na estabilidade do veículo. Cada pneu tem sua própria arquitetura interna e, conseqüentemente, pneus diferentes possuem comportamentos diversos. Dois de mesmo desenho, no mesmo eixo, se compensam.

Trafegando por rodovias - Deformações nas estradas podem causar graves danos aos pneus que, ao passarem por obstáculos, sofrem forte compressão contra a roda, deteriorando os flancos. Causada em alta velocidade, uma avaria desse tipo compromete a segurança dos ocupantes do veículo, pois pode levar à perda do controle de direção. O mais aconselhável nesse caso é trafegar em velocidade baixa, com os pneus bem calibrados.

A identidade do pneu - Os pneus comercializados no Brasil seguem as normas mundiais para especificação das dimensões. No caso de um pneu com especificações 175/70 R13 : 175 é a largura do pneu montado e inflado em milímetros; 70 indica que a altura do flanco corresponde a 70% da largura do pneu - esta indicação corresponde à série do pneu; R significa que a estrutura deste pneu é radial (D é quando o pneu é diagonal); e 13 é o diâmetro da roda em polegadas.

Inspeção técnica do pneu - Em suas revendas exclusivas, a Michelin dispõe de um verificador técnico capaz de realizar um exame completo dos pneus e, se necessário, serviços de balanceamento, alinhamento, calibragem e rodízio para os consumidores que irão viajar. Os endereços das lojas da rede Michelin em todo o Brasil são informados pelo Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC), no telefone 0800-9709400.

Pneus com garantia - A Michelin oferece garantia contra danos acidentais para toda a linha de pneus para carros de passeio e caminhonetes vendida no Brasil, sem nenhum custo adicional para o consumidor. O benefício é parte do programa Multiproteção Michelin, que prevê também garantia de fabricação de cinco anos e de quilometragem, além de serviços gratuitos de reparos de danos. Mais informações podem ser obtidas pelo SAC da Michelin ou no site da empresa: www.michelin.com.br .



 
Referência: michelin.com.br
Aprenda mais !!!
Abaixo colocamos mais algumas dicas :

Assunto:Perguntas:
Vendas3 passos para vender
Modelos de documentosReferências Pessoais
Carreira / EmpregoRaiva pode jogar a seu favor durante uma negociação
ImóveisVai comprar um imóvel? Atenção aos termos técnicos para não haver confusão
Carreira / EmpregoDedicação extra pode transformar trabalho temporário em emprego fixo
FilhosConta de telefone: veja como diminuir os gastos de seu filho
Investimentos / FundosConservador ou ousado? Conheça seu perfil antes de aplicar em títulos do Tesouro
Carreira / EmpregoComo aceitar (bem) um "não" no trabalho?
LeisNovo Código Civil ? Lei nº 10.406 de 10/1/2002 (Parte Especial) »»» Livro I - Do Direito Das Obrigações »»» Título VIII - Dos Títulos de Crédito
Economizar / PouparSaiba onde ir no litoral para encontrar as melhores promoções